Foto do artista Mercedes Sosa

Canción de Las Simples Cosas

Mercedes Sosa


Canción de Las Simples Cosas

Uno se despide insensiblemente de pequeñas cosas
Lo mismo que un árbol
En tiempos de otoño se quedan sin hojas
Al fin la tristeza es la muerte lenta de las simples cosas
Esas cosas simples que quedan doliendo en el corazón

Uno vuelve siempre
A los viejos sitios en que amó la vida
Y entonces comprende
Como están de ausentes las cosas queridas
Por eso muchacho no partas ahora soñando el regreso
Que el amor es simple
Y a las cosas simples las devora el tiempo

Demorate aquí, en la luz mayor de este mediodía
Donde encontrarás con el pan al sol la mesa tendida
Por eso muchacho no partas
Ahora soñando el regreso
Que el amor es simple
Y a las cosas simples las devora el tiempo

Canção Das Coisas Simples

A gente se despede insensivelmente de pequenas coisas
Assim como uma árvore
Em tempos de outono perde suas folhas
No final a tristeza é a morte lenta das coisas simples
Essas coisas simples que causam essa dor no coração

A gente sempre retorna
Aos velhos lugares em que amou a vida
E então compreende
Como se fizeram ausentes as coisas queridas
Por isso rapaz, não partas agora, sonhando com seu retorno
Pois o amor é simples
E as coisas simples, o tempo devora

Demora-te aqui, sob essa luz forte do meio-dia
Onde encontrarás sob o sol, o pão servido à mesa
Por isso rapaz, não partas
Agora, sonhando com seu retorno
Pois o amor é simples
E as coisas simples, o tempo devora

Original Adicionar à playlist Tamanho Cifra Imprimir Corrigir
Composição: Armando Tejada Gomez / Cesar Isella · Esse não é o compositor? Nos avise.
Enviada por Maria, Traduzida por Guilherme
Viu algum erro na tradução? Envie sua correção.