exibições 10.623

Ainda te amo

Myth


Ainda te amo (Poesia) x2

Conta-me a história que me contaste uma vez
tento recordá-la quando surgem os porques
naquela altura a lua trazia-me mais certeza
o tempo vai passando mas não muda a tristeza
quero ouvir de novo as palavras que sussurraste
relembrar-me dos segredos que me confias-te
eu continuo o mesmo, mesmo quando tu me ignoras
será que hoje em dia tu por mim ainda choras
a inocência que me davas era singular
não sei qual foi de nós o primeiro a mudar
fazes-m visitas, mas só temporariamente
quem me dera que voltasses e ficasses para sempre
Mas muitas vezes a tua vontade é pouco certa
á noite com esperança deixo a porta mais aberta
o que é que se passou connosco diz-m por favor
não é por acaso que ainda te trato por amor
porque é que não percebes que estou a ficar mais fraco
se não me queres dar um beijo dá-me ao menos um abraço
e diz-m que está tudo bem, como antigamente
quando passávamos tardes a olhar frente e frente
eu sei que posso ser ingrato naquilo que escrevo
e que as minhas atitudes só refletem o meu medo
de te perder e de te ver sem te poder tocar
mas para mim podias tentar a voltar acreditar
o que é que não gostas em mim que eu não póssa mudá-lo
tenho esse poder mas não sei utilizá-lo
tenho uma só razão para que a vida seja bela
a partir da meia-noite olha para a minha janela

(Conta-me a história mais linda)
Conta-me a história mais linda
(Que me contas-te uma vez)
Que me contas-te uma vez´
(em voz baixinha)
Em voz baixa, sussurrando no ouvido
(Que pode ser a última vez)
Pode ser a última vez..

A saudade aperta e não dá para ignorar
a dor fica cá dentro como uma ferida por sarar
hoje recordo bons momentos que contigo passei
mas a tua partida foi algo que nunca imaginei
mesmo com o tempo passando os sentimentos são iguais
se calhar quando desabafei já foi tarde de mais
faço da solidão meu companheiro diáriamente
quando sonho que voltaste e ficaste para sempre
quando partiste simplesmente ficou um vazio cá dentro
mas na mesma distância mudou o meu sentimento
as horas passam mas os dias parecem eternos
quantas lágrimas ficaram nas folhas destes cadernos
houve tanta coisa que ficou por dizer
duvido que compreendas aquilo que me faz mais sofrer
a mágoa que cá dentro carrego sempre comigo
dava tudo para voltar a rever o teu sorriso
se calhar tenho culpa por ter saído calado
mas tinha medo de tentar e sair mais magoádo
és tudo para mim, fonte da minha ispiração
tudo aquilo que sonho, talvez uma simples ilusão

Refrão

Houveram tantas coisas que ficaram por ser ditas
tantas lágrimas que chorei em forma de tinta
olho-te com a mesma paixão com que te olhava dantes
para ti já fui eterno, mas apenas por instantes
durante meses seguidos foste tu a minha musa
mas o medo de te perder é quilo que mais me assusta
ao me lembrar de ti ganho forças para lutar
e encarar a vida injusta que tenho de enfrentar
se te desiludi peço desculpa mas é estranho
não imaginas nem metade do amor que tenho
és o ponto final que termina as minhas tardes
o ponto de exclamação que dá vida ás minhas frases
adormeço a pensar em ti e acordo contigo no pensamento
imaginando que regressas a qualquer momento
a esperança não morre quando acordo da fantasia
reencontrar-te outra vez era tudo o que eu queria
se soubesses tudo aquilo que eu fiz por tua causa
a forma é diferente mas a alma é a mesma
estás sempre calada mas eu estendo-te a mão
e por momentos passo para outra dimensão
para o mundo diferente que um dia sonho encontrar
para ter-te do meu lado sempre que eu precisar
nos momentos difíceis estejas lá para me apoiar
mas a esperança que guardo é o que me faz acreditar
no mundo que não me aceita por muito que eu tente
és o meu refúgio, carinhosa e sorridente
se te perder só espero que me encontres um dia
mas até lá...ainda te amo (poesia)

Ainda te Amo (Poesia) x4

Conta-me a história mais linda
que me contas-t uma vez
conta-me em voz baixinha
que pode ser a última vez

São horas de adormeçer
o sono tarda a chegar
conta que após o esquecer
quando á noite me deitar

Adicionar à playlist Tamanho Cifra Imprimir Corrigir