Si Estallo (Poema)

Si el firmamento oscuro pesara demasiado
Sobre mi estómago y me rindiera
No juzgues lo que desconoces, tomando conclusiones precoces
Si conmigo no tuviste más que roces, esa no es manera
Si el vértigo se me hiciera insoportable una madrugada
Más y mirar atrás fuera una ruleta rusa con cinco balas

No busques excusa para rajar más mis alas
Tiene corazón quien lo usa, no quien lo olvida
No me entenderás si el aire que exhalas
Es cloroformo sobre una solidaridad ya dormida
Si sangran demasiado las heridas
Saluda al silencio, en mi último grito
Y no me pidas que me despida

Si me largo donde caen los años
Y los sueños, puede que llores
Pero mejor trata de no repetir mis errores
Y quédate con lo que enseño
No analices mis ojeras y dime que me esperas
Con la sonrisa de cuando era pequeño
Si me duele demasiado el pecho
Por sobre dosis de emociones punzantes

Ponte en mi piel, aunque tengas la armadura
De la inocencia que yo tuve antes de romper mis vendas sin miramientos
Verás que no miento si haces lo mismo
Con un ejercicio de realismo
Ah! Y dale recuerdos a los habitantes del abismo
Si acabas viviendo en el mundo de los sentimientos
Si las ausencias acabaran ausentándome
De las ganas de vivir y no pudiera recuperar el elixir
No seas egoísta culpándome por mi pasión autista
Y sigue la pista de senderos que empiezan sin mí

Que, descubriendo los que te abrí, harás que aún exista
Diles, de mi parte, que les jodan a las hormigas que me repudian
Yo te invito a bailar y cantar con las cigarras bajo la lluvia
Si no encontrara el truco para secar mis lágrimas invisibles
No quieras atarme a la tierra
Que yo ya di mucha guerra a quienes ser libres
Nos impiden y combate a quienes te encierran

Tomar el atajo hacia la muerte no es de cobardes ni de valientes
Al fin y al cabo todos tememos a lo desconocido
Y suicidándose uno se lanza en picada
Pero esto no es ninguna apología a atravesar el túnel
Yo amo a la vida con locura, pero no lo que la envuelve
El caso es que si en cierta manera dimitiera como ser vivo

O simplemente creyera que es la hora de no tener más horas
Si te molestas en juzgarme al menos escucha lo que he sentido
Y si quieres declárate mi enemigo, pero tranquilo
Que hasta el más insensible llora tarde o temprano
Y si yo creo que se me ha hecho tarde, me iré temprano

Justo cuando amanezca y la luna negra
Siga ocupando mis pupilas, pudiendo desterrarla
Solo cerrando los ojos para siempre
Si la ansiedad y la tristeza no se dejaran domesticar
Un día y estallo, quédate con las formas de mis nubes; no, con el rayo

Se eu estourar (poema)

Se o céu escuro pesasse demais
No meu estômago e eu desistiria
Não julgue o que não sabe, tirando conclusões precoces
Se você não tivesse nada além de esfregar comigo, não tem como
Se a vertigem se tornasse insuportável ao amanhecer
Mais e olhe para trás de uma roleta russa com cinco balas

Não procure uma desculpa para quebrar minhas asas mais
Tem um coração que usa, não quem esquece
Você não vai me entender se o ar que você exala
É clorofórmio sobre uma solidariedade já adormecida
Se as feridas sangrarem demais
Diga olá ao silêncio, no meu último grito
E não me peça para dizer adeus

Se eu for onde os anos caem
E sonhos, você pode chorar
Mas é melhor tentar não repetir meus erros
E fique com o que eu ensino
Não analise minhas olheiras e me diga o que você me espera
Com o sorriso de quando eu era pequeno
Se meu peito dói demais
Sobre dose de emoções agudas

Coloque-se na minha pele, mesmo se você tiver a armadura
Da inocência que eu tinha antes de quebrar meus curativos sem levar em conta
Você verá que eu não minto se você fizer o mesmo
Com um exercício de realismo
Ah! E dar lembranças aos habitantes do abismo
Se você acabar vivendo no mundo dos sentimentos
Se as ausências acabarem me ausente
O desejo de viver e não conseguiu recuperar o elixir
Não seja egoísta me culpando por minha paixão autista
E siga a trilha de trilhas que começam sem mim

Que, descobrindo os que eu abri para você, fará com que ainda exista
Diga a eles, da minha parte, que se foda as formigas que me deserdam
Convido você a dançar e cantar com as cigarras na chuva
Se eu não encontrar o truque para secar minhas lágrimas invisíveis
Você não quer me amarrar no chão
Que eu já dei muita guerra a quem é livre
Eles nos impedem e lutam contra aqueles que te prendem

Levar o atalho para a morte não é covarde ou corajoso
Afinal, todos nós tememos o desconhecido
E cometer suicídio mergulha
Mas isso não é desculpa para atravessar o túnel
Amo a vida loucamente, mas não o que a rodeia
O fato é que, se de alguma forma eu me demitisse como um ser vivo

Ou apenas pense que é hora de não ter mais horas
Se você se incomoda em me julgar, pelo menos ouça o que eu senti
E se você quer declarar meu inimigo, mas acalme-se
Que mesmo os mais insensíveis choram mais cedo ou mais tarde
E se eu acho que já é tarde, vou sair mais cedo

Apenas quando o sol nasce e a lua negra
Continue ocupando meus alunos, sendo capaz de bani-lo
Apenas fechando meus olhos para sempre
Se a ansiedade e a tristeza não serão domesticadas
Um dia e estourou, fique com as formas das minhas nuvens; não, com raio

tradução automática via Revisar tradução
Original Adicionar à playlist Tamanho Cifra Imprimir Enviar

Posts relacionados

Ver mais no Blog