Foto do artista Paulo Flores

Samba da Benção e da Consolação

Paulo Flores


Vida dali
Como quem chega devagar
E diz
Posso falar
Bairro da peça
São joão
Bairro benfica
Benguela que sempre purifica
Aqueles que dela sentem a falta
Por causa dali

Como quem chega
Não por chegar
Mas com muita saudade
Nos olhos
Na carne

Então
Mais um copo
Mais um pouco
E mais um abraço

Mais um copo
Mais um pouco
E mais um abraço

Mais uma pessoa
Mais um afeto
Mais um filho
Mais um neto
Mais um esperto pra nos enganar
Mais um deserto pra atravessar
E o abismo ao que o amor nos empurra
Kibeto mais kibeto
Surra mais surra
Não nos retira a esperança
Que apesar de tudo
Hoje é madura

E não serão as armas
Serão as flores
E não será o dinheiro
Será a arte
E não será o poder
Será a generosidade
O gesto
A practicidade

Então
Mais um copo
Mais um pouco
Meu amigo
Mais um mendigo
Nessa rua
Passamos tipo não vimos o avilo
Quem é
Quem é
Me diga
Quem é
Quem é
Então eu vim lembrar meu pai
O kabeto
Que a vida insistiu
Em levar pra longe de mim
E me deixou assim
Definitivamente convencido
Pai é pai
Amigo é amigo
Pai é pai
Amigo é amigo

O meu pai era dali
Da peça
Bairro antigo de benguela
Finokas
Gabriel do escondidinho
Pra escola fazem caminho
Bom dia na avô boneca
Bom dia avó
O meu pai era o kabeto
O amigo dos amigos
Mais é
Não me peça
Pra esquecer essa essência
Nem mudo a minha consciência
Para honrar meu pai

(Prodígio)
Hei
Não peça
Pra esquecer a educação
Que o meu pai me deu
Nem me peçam
Pra esquecer os filhos que a minha mãe perdeu
Enquanto eu viajo na melodia
Kota paulo traz harmonia
Eu lembro que numa casa sem eletricidade
Nunca faltou energia
Eu nem sou daqueles que critica
Porque a situação tá critica
Ouviste bem a minha lírica
Minha avô dizia meu neto não fala política
E eu nem sei o que é política
Eu queria viajar
Com as rimas violar as leis da física
Sou muito mais do que aquilo que eu pareço
Tipo uma velha cínica
Eu faço parte do instrumental
A minha alma é rítmica
Aqui é tudo pago com as mãos
Mímica
Pagas a renda do pastor
Tipo que a conta é bíblica
E nem é preciso historiador
Porque a história é típica
Nossa história é critica
Mas eu estou com os meus manos
Cuspimos versos tipo salmos
Deus deve ter um plano
Então nós vamos que vamos
É first life

Mais um pouco
Mais um copo
Uma saudade

Mais um copo
Mais um pouco
Uma saudade
Mais um sonho de liberdade
Pra agitar essa cidade
E os nossos corações
Consolo
Perdão
Oh senhor

Para todos aqueles mais velhos
Que lutaram com afeto com a certeza
Pela terra
A benção e a consolação
Até aqueles que eram oprimidos
Acorrentados
Espremidos
No corpo na alma no coração
A benção
E a consolação
Para aqueles tempos de guerra
Nossas mamãe terra
Que cuidavam da lavra
Ensinavam palavras
Foram tropas com filhos
Nas costas
A benção e a consolação
(A benção)
E a consolação

Humm, zan
Paulo djaz, van, vitex
Pais da arte
Que fez com que a gente se mantivesse
Ka te os poetas donos dos nossos sonhos
Pintamos um mundo novo com as lágrimas do povo
Pais filhos avós nasceram de novo
A benção
E a consolação
Mais velho tedi nzingui
Makongo da nguimbi
Mais velho irmão
Viajante em solos de guitarra
Repletos de paz, amor e perdão
A benção
E a consolação
Só mais uma pra aqueles mais jovens
Que ainda acreditam que todos temos direitos iguais
Que ninguém é melhor que ninguém
Ninguém é menos
Ninguém é mais
A benção
E a consolação
Olha minha menino
A felicidade tomou conta da cidade
A felicidade aquela que todos nós queremos
Por causa dali
A felicidade tomou conta da cidade
A felicidade aquela que todos nós queremos
A benção
E a consolação

Adicionar à playlist Tamanho Cifra Imprimir Corrigir