Sou a chave de uma vida
E o avesso da morte
Tiro o dedo da ferida
E o azar da tua sorte

Sou luz no teu fundo
E o silêncio em mato bravo
E o algodão da tua nuvem
Enquanto mata eu não paro

Eu voo
Com o tempo voo
No pensamento, eu sei
Que nada vai mudar

Sou as memórias que te restam
Que ainda pintam a tua tela
larga tudo o que não presta
Temos o mundo à janela
Sou a mentira que disfarças
E o segredo mal contado
Sou a paixão ainda acesa
Sou o futuro e o passado

Eu voo
Com o tempo voo
No pensamento, eu sei
Que nada vai mudar

Eu voo
Contra o tempo, voo
E o sentimento, eu sei
Que nada vai mudar

Por o espaço, que te ocupa
Eu voo em ti
Dás-me luta

Eu voo
Com o tempo voo
No pensamento eu sei
Que nada vai mudar

Eu voo
Com o tempo voo
No pensamento eu sei
Que nada vai mudar

Adicionar à playlist Tamanho Cifra Imprimir Corrigir

Posts relacionados

Ver mais posts