exibições 5.562

Lei Rua Neles

Pineapple


[Coruja BC1]
São só La La Land querendo apagar nosso brilho Moonlight
São só cientistas políticos formados no WhatsApp
Surubinha de leve, fudendo com o povo paulista saiu no jornal
Lição de moral de quem não tem moral: Extra, extraconjugal
Seu candidato me lembra Arnon de Mello: Mata opositores por ignorância
Seu candidato me lembra Fernando Collor: Não para de pensar na sua poupança
No desespero de um time sem ataque
O craque é o gandula
Mata-leão no Brasil é mamão, por aqui o difícil é explicar pra mula
Amigo íntimo de Eduardo Cunha diz odiar bandido
Nacionalista que bate continência pra bandeira dos Estados Unidos
Liberdade Bárbara Querino
Só vejo meu povo sendo atingido
Eles dizem falar em nome de Jesus
Mas nos matam com ódio de anjos caídos
Homens de bem burro
Elogiam torturador
Homens de bem burro
Se dizem em nome do Senhor
Só se for de engenho
Já vejo eles nesse ano batendo na mulher no quarto
Comemorando a virada de 2018 pra 1964
RIP Brasil! Seu Ustra nunca foi brilhante
É só um estuprador nazista
Que carrega o diabo no semblante
Eu vim da onde não ter pai
É família tradicional
Eu sou dos tempos que playboy
Era oposto do rap nacional
Favela no plural e não no singular
Esses político vampiro quer tua jugular
Por isso eles quer ver nosso sangue jorrar
Velório nosso pra esses puto é festa open bar
Tô indo pra cima igual meu pelo em Poetas 2
Eles pra baixo tipo Temer após a morte
Tô indo pra cima igual meu pelo em Poetas 2
Eles pra baixo tipo Temer após a morte
Tô indo pra cima igual meu pelo em Poetas 2
Eles pra baixo tipo Temer após a morte
Tô optando pelo professor
Pra que no fim a democracia seja forte
Pense nisso!

[Akira Presidente]
Contando os corpos, mas sei que ainda outros virão (fala, fala)
Contando os corpos, mas vê quantos nossos que são
Quantos se foram pedindo paz? E assim seguimos sem direção
Sei que isso é parte de um plano, Pai! Nos acertam só por diversão
Eles nos caçam, eles nos cansam
Em cada enquadro é pra lembrar quem somos
Nunca dão nada além de abandono
Cheios de ódio e nós cheios de sono
Correndo descalços, eles alcançam
Num carro caro que nunca compramos
Eles nos matam, nem tão ligando
Foda-se, só nós nos importamos
Não são crianças com medo do escuro
É gente grande com ódio do escuro
Trancado em casa se sente seguro
Banhos de sangue sem fé no futuro
Tão contando voto, né? Cheios de sangue nas mãos
Somos só negócios, né? E sabe que outros virão
Quantos se foram pedindo paz? E assim seguimos sem direção
Sei que isso é parte de um plano, Pai! Nos acertam só por diversão

[Black]
Aah, cês cresce com bicho-papão
Nós com bicho pá pum, pá pum, pá pum
O tempo fechou, chove bala
Receio de sair de guarda-chuva e ser mais um, hein?
Eu luto pelos meus e infelizmente essa também é nos dois sentidos
Quanto ódio contido, choro omitido
Erros cometidos convertido em risco, pô
Daqui o povo briga: Faca nos fascista, odeio petista
Fogo em nazista, detesto cotista, bala nos racistas
Aula de História e empatia para todos que ainda o chamam de Mito
Enquanto a gente se segrega e resolve na brutaria, eles tira o bruto
Continua muitos com pouco e poucos com muito
E pra ser sincero, eu tô cansado de tudo isso

[Rod 3030]
Eles criam a enchente e te vendem as boias
Roubam a gente pra comprar uma joia
Sempre prendem, até por detergente
Como foi na hora do Rafa Braga
Eles têm menos gente que na minha quebrada
Então como pode tá fudendo tudo?
Eles são racista? São!
Então por isso quer um fascista presidente
Eles dão miséria pra te pôr na cela
Acorda cedo pra comprar sua alma
Quer fuder o menor armado na favela
Mas eles mesmos que venderam as armas
Podia encher seu avião de coca que não dava nada
Só pro seu nariz
Proíbem a maconha, fazem guerra às drogas
Que eles mesmos trazem pro país
Eles criam doenças e te vendem a cura
Dá seu crime e depois te procura
Escreve o nome que eles te rasura
O melhor salário é o da prefeitura
Eles mesmo escolhem quanto que eles ganham
E também quanto que minha vida vale
No país da fome, eles comem picanha
Ainda bem que eu sei que tem papel na carne
Tem papel no carnê, eles são tipo câncer
Eu sou escorpião, tô criando ranço
É que ser pobre cansa, eu tô ficando rico
E se um dia eu fico, ninguém me alcança
Meus amigo lança cada som que eu fico
Esses moleque é o pico da nossa esperança
Meta da mudança é o que eu trafico
Com o objetivo de salvar as criança
Como pode um homem me dizer
Que o melhor caminho contra as armas são mais armas?
Eu nunca vou entender
Pra mim é tipo matemática, faz as contas
Mais armas, mais tiros
Mais tiros, mais mortes
E o problema aqui é crônico, trágico
Um comício impávido, um presente plástico, futuro estático
Liberar mais armas é suicídio
Carta branca pra polícia é genocídio
Que sobe o morro, que mata pobre, que mata preto
É cada vez menos professores no quadro negro
Eles dividem o povo pra conquistar
Estratégia antiga do conquistador
Eles criam pânico e tacam o terror
Estratégia antiga desses ditador
Toma o poder mesmo sem poder, toma os três poder
Guarda no seu bolso se puder e manda se fuder
Nós é milli milli nessa militância
Desde os tempos que eu dormi na Cinelândia
Olha 64, 68, veja as semelhanças
Repetir os mesmos erros eu me canso
Porque regredir não é avanço
MCs preocupados com fake views
Candidatos com fake news
Por um velho Brasil
Pulso cheio de fuzil
Isso é um fake Brasil

[Don L]
(Seu chapa!)
Qual o seu bandido de estimação, lek?
O estuprador? O usurpador? Torturador?
Parem de fingir que são cegos
É por amor
Que eu rimo e também pela grana
Mas por favor, para de caô, certo?
Olha, eles põem ódio na boca de Cristo
Eles tão agora relativizando Hitler
Não demora dizerem
Que o hip hop, um dia, nasceu na Hungria
Irmão, a minha tribo é da periferia
E sua estirpe quer a minha tribo extinta
Paga de família, mas não me engana
Paga de malandro, mas é fã de cana
Vota 1-7, curte um rap, na favela sempre foi o prego
Não tem sucesso nem em ser ganso, telemarketing de 1-9-0
E diz que é gângster
Um papel de Suzana Vieira é seu maior sonho
Fantasia milicianos e hmm
Sou o contrário de um capitão do mato
Ó a pele clara e o coração como
Se o Shawlin é aluno de Olavo
Eu sou Bruce Lee e mato MCs paga pau de mão branca
Com o microfone, eles querem muito poder vir de tanque
Militontos ou militantes?
Não me ponham em siglas, eu sou livre!
O seu vacilo é crônico, palma pra Danilo Gentili, funny
Usando sua estupidez digital pelo WhatsApp, mentindo até cuspir sangue
Pelo celular, dirigindo campanha pra matar como fuzileiros guiam drones
Abre o champanhe com Rivaldo, Ronaldo Gaúcho e chupa o inflável do Trump
Na moral, responde esse bagulho pra mim
Cês já cometeram abuso e tão achando que com esse bagulho tão se livrando?
Fala pra mim
O dono da Havan tá pagando
De Lei Rouanet pro Ferrugem reverter racismo reverso em Miami?
Fala pra mim
Porque de opção tinha ao menos uns dez ali
E seja sincero, cê quer isso aí
Cê quer um racista, cê quer um imbecil
Eu não faço questão de fãs assim
Eu toco nos fones da sua mina e tomar ela de você já tá bom pra mim
Eu vivo pra sempre nas rimas, essa eu já venci
E seu deputado biscate não encara um debate, não sabe o que fala
É um mito medíocre dos covarde que bate em mina e quem sabe mate
Cê fica de salto tipo Tati Zaqui
Victor Vicenzza faz cash em maço
Primo, dá licença, mas a placa no chão
Que eles querem no lixão é só a de Marielle
Para, para, para, para, para tudo!
Suas joias Tiffany sabem que seu ditador
Não é menos ruim que o do vizinho (Putin)
Cês querem o Brasil colônia, assume!

Adicionar à playlist Tamanho Cifra Imprimir Corrigir
Composição: AKIRA PRESIDENTE / Black / Coruja Bc1 / Don L / Rod 3030 · Esse não é o compositor? Nos avise.
Enviada por Madelene, Legendado por ani
Viu algum erro na letra? Envie sua correção.