A rua

Lá vem de novo o vento, a chuva e o tempo têm um tom cinzento, piso o asfalto que a pouco a chuva por inteiro lavou...
Na rua vejo sombras de um dia e o seu lamento lembrando os passos que minha mente lentamente firmou...
E vem chegando à noite a lua tarde a brilhar, a vida vira açoite e não sei onde vai findar
Se vou chorar não sei, se vou rezar pra que Deus? A linha que tracei esta manchada por pneus
Lá vem de novo o vento, a chuva e o tempo têm um tom sombrio, corre no asfalto lagrimas de um pranto que o céu despejou
As sombras já me tocam no silencio de um calafrio e os raios iluminam as escadas que o Éden privou
Sei voar... Caminhei, pela luz viajei... Sangue e fel, chão e dor e a escuridão meu redentor
Tristeza vem encharca os olhos de quem... Não tem ninguém e a rua vai mais além
Se ando mais todo o meu rastro se desfaz... Já que parei então pensei que um outro dia aguardarei

Adicionar à playlist Tamanho Cifra Imprimir Corrigir