Foto do artista Ruy Maurity

Serafim e Seus Filhos

Ruy Maurity


São três machos e uma fêmea, por sinal Maria,
Que com todas se parecia.
Todos de olhar esperto, para ver bem perto,
Quem de muito longe é que vinha.
Filhos de dois juramentos, todos dois sangrentos,
Em noite clarinha, eia-ô,
O João Quebra-Toco, Mané-Quindim, Lourenço e Maria . . .

Noite alta de silêncio e Lua, Serafim,
O bom pastor de casa saía.
Dos quatro meninos, dois levavam rifle,
E os outros dois levavam fumo e farinha.
Bandoleros de los campos verdes, Don Quijotes,
De nuestro desierto, eia-ô,
Serafim bom de corte,
Mané, João, Lourenço e Maria . . .

Mas o tal Lourenço, dos quatro o mais novo,
Era quem dos quatro tudo sabia.
Resolveu deixar o bando e partir pra longe,
Onde ninguem lhe conhecia.
Serafim jurou vingança,
Filho meu não dança conforme a dança, eia-ô,
E mataram o Lourenço em noite alta de lua mansa . . .

Todo mundo dessas redondezas
Conta que o tal Lourenço não deu sossêgo.
Fêz cair na vida sua irmã Maria
E os outros dois matou, só de medo.
Serafim depois que viu o filho lobisomem,
Perdeu o juízo, eia-ô,
E morreu sete vezes,
Até abrir caminho pro paraíso . . .

Adicionar à playlist Tamanho Cifra Imprimir Corrigir