Existem pessoas que são cidades
Cidades que são meninas
Existem meninas que são histórias
Histórias que são de Minas

Nomes de mulheres, destino igual
Portas e janelas olhando o céu
Sonhos tão pequenos, palavras sinceras
Escondendo a solidão

Noites de mistérios que ninguém vê
Dedos no rosário da escuridão
Cidades meninas, histórias do coração

Pedralva, branca, branca, branca pedra
Natércia, com seu nome de senhora
Cristina, dentes de leão na praça
Maria da Fé, fria, fria, fria agora

Palmyra, dama que perdeu seu nome
Mariana, onde a reza não tem hora
Januária, moreninha barranqueira
Maria da Fé, brilha, brilha, brilha agora

Adicionar à playlist Tamanho Cifra Imprimir Corrigir