as avencas na varanda
adivinham quando chegas:
teu corpo todo milongas
as manhas do teu silêncio
a calmaria dos gestos
as flautas do teu sorriso
a calmaria dos gestos
as flautas do teu sorriso

as avencas adivinham:
o beijo que ttens na boca
o temporal em teus olhos
a fogueira no teu ventre
a seda que tens na pele
as teias que são teus braços
a seda que tens na pele
as teias que são teus braços

e quando chegas, de manso
é tamanha a tua luz
que o sol parece aninhar-se
entre as paredes do rancho

as avencas adivinham
o beijo que tens na boca
o temporal em teus olhos
a fogueira no teu ventre
a seda que tens na pele
as teias que são teus braços
a seda que tens na pele
as teias que são teus braços

e quando chegas, de manso
é tamanha a tua luz
que o sol parece aninhar-se
entre as paredes do rancho

Adicionar à playlist Tamanho Cifra Imprimir Corrigir