Pisando Em Praça De Guerra

Siba

exibições 2.680

16 de fevereiro
data de meu nascimento
soprou naquele momento
no mundo um vento maneiro
eu nu, pequeno e roçeiro
chorando de sede e fome
papai me botou um nome
mamãe me abraçou primeiro

um doutor falou ligeiro
depois que eu tinha chorado
esse nasceu tarimbado
pra ser mestre cirandeiro
um doutor falou ligeiro
depois que eu tinha chorado
esse nasceu tarimbado
pra ser mestre cirandeiro

cantando eu trago o trator
o ferro a pedra a madeira
o guindaste a bitradeira
o prego o martelo a lima
quem de mim se aproxima
ver mil homens trabalhando
sangue suor derramando
pra construir com estima

um edifício de rima
todo de concreto armado
pra eu subir e ficar sentado
olhando o mundo de cima
um edifício de rima
todo de concreto armado
pra eu subir e ficar sentado
olhando o mundo de cima

com armas de ferro e aço
escutando e vendo tudo
meu batalhão carrancudo
invade os costais da serra
ouvindo o canhão que berra
botando a cara em trincheira
metendo os pés na ladeira
aonde a mina se enterra

pisei na praça de guerra
estou no campo de batalha
e a minha boca metralha
balas de rima na terra
pisei na praça de guerra
estou no campo de batalha
e a minha boca metralha
balas de rima na terra

Adicionar à playlist Tamanho Cifra Imprimir Corrigir