Maquinarama

Skank

exibições 9.326

Motorista, siga aquela lua, aquela placa, aquela seta, aquela rua
Pois a minha sorte não é tão certa como a sua, mas atravessa esse beco e continua

Motorista siga aquela moça, corpo de seda e coração de louça
Abaixe o rádio para que ela me ouça, e guarde meus sonhos em sua bolsa

Motorista, siga aquela lua, aquela placa, aquela seta, aquela rua
Pois a minha sorte não é tão certa como a sua, mas atravessa esse beco e continua

Olha artista, é depois da reta, até depois de ter sua missão completa
Depois de ver que não houve meta, que a felicidade é Deus que soletra

(Refrão)
Eu sei que essa vida contém cenas de perplexidade
Esse filme, pensando bem, é impróprio para qualquer idade

Na esquina me dê dois minutos para roubar à ela beijos curtos
Que o amor derruba viadutos, e vai e vem com seus modos brutos

Agora siga, pegue aquela pista, não vou voltar ainda tendo em vista
Que a confusão humana se tornou ilícita, chora e se emociona e posa pra revista

Olha artista, é depois da reta, até depois de ter sua missão completa
Depois de ver que não houve meta, que a felicidade é Deus que soletra

Refrão

Motorista, siga aquela lua, aquela placa, aquela seta, aquela rua
Pois a minha sorte não é tão certa como a sua, mas atravessa esse beco e continua

Refrão

Add a playlist Tamanho Cifra Imprimir Corrigir
Composição: Chico Amaral / Samuel Rosa · Esse não é o compositor? Nos avise.
Enviada por Gustavo
Viu algum erro na letra? Envie sua correção.