Cordeiro de Nana

Thalma de Freitas

exibições 50.973

Fui chamado de cordeiro, mas não sou cordeiro não
Preferi ficar calado que falar e levar não
O meu silêncio é uma singela oração a minha santa de fé

Meu cantar vibram as forças que sustentam meu viver
Meu cantar é um apelo que eu faço a Nanã Ê

Sou de Nanã Ewá, Ewá Ewá Ê
Sou de Nanã Ewá, Ewá Ewá Ê
Sou de Nanã Ewá, Ewá Ewá Ê

O que peço no momento é silêncio e atenção
Quero contar sofrimento que passamos sem razão
O meu lamento se criou na escravidão, que forçado passei
Eu chorei, sofri as duras dores da humilhação
Mas ganhei, pois eu trazia Nanã Ê no coração

Sou de Nanã Ewá, Ewá Ewá Ê
Sou de Nanã Ewá, Ewá Ewá Ê
Sou de Nanã Ewá, Ewá Ewá Ê