Eu era o maioral, para mim, esticavam o tapete.
Com o meu velho chapéu eu mantinha a ordem enfim.
Mas aí lá do céu esse cara despencou num foguete,
Dizendo umas coisas estranhas demais para mim.

Estranhas demais para mim.
Estranhas...
Estranhas demais para mim.
Acho que é o meu fim.

Vejam só: amigos meus sumiram num piscar.
E eu tento o que é melhor pra me aprumar.
Eu era líder, tinha poder.
Mas isso acabou.
E então o céu sobre mim desmoronou.

Eram coisas mesmo estranhas demais para mim.
Estranhas...
Estranhas demais para mim.
Acho que é o meu fim.

Alguém que pra você é irmão te vira as costas.
Você vai notar no fim, só vai restar solidão.
As coisas parecem ir bem, mas você perde as apostas,
Pois termina sozinho num canto largado no chão.

Eram coisas mesmo estranhas demais para mim.
Estranhas...
Estranhas demais para mim.
Acho que é o meu fim.

Adicionar à playlist Tamanho Cifra Imprimir Corrigir

Posts relacionados

Ver mais posts