És o orvalho que nutre uma rosa
És a rosa que enfeita o jardim
És jardim que ornamenta a campina
És o campo radioso sem fim
És um raio de luz dentre as sombras
És a sombra suave e fiel
És o manto azulado do espaço
És o braço que me une aos céus

És o sonho ideal da poesia
Que irradia na rima do verso
Na candura do meu dia a dia
O segredo total do universo
És o berço que embala o pequenino que nasce
És a face alegre da alma remida
És degrau para eterna subida
És a vida meu Deus
És a vida

És a ponte que jaz sobre o abismo
És a fonte dos mananciais
És o doce marulho das águas
No deserto, és recanto de paz
Tú que reinas acima da morte
És o forte que sustenta a cruz
És o norte que orienta o filho
És o brilho no olhar de Jesus

És o sonho ideal da poesia
Que irradia na rima do verso
Na candura do meu dia a dia
O segredo total do universo
És o berço que embala o pequenino que nasce
És a face alegre da alma remida
És degrau para eterna subida
És a vida meu Deus

És a ponte que jaz, sobre o abismo
És a fonte dos mananciais
És o doce marulho das águas
No deserto, oh Deus, és recanto de paz
Tu que reinas acima da morte
És o forte que sustenta a cruz
És o norte, és o norte que orienta o filho
És o brilho, oh és brilho
És o brilho, no olhar, no olhar de Jesus

Adicionar à playlist Tamanho Cifra Imprimir Corrigir
Composição: Edson Coelho. Essa informação está errada? Nos avise.
Enviada por José. Legendado por Andre. Revisões por 13 pessoas . Viu algum erro? Envie uma revisão.

Posts relacionados

Ver mais no Blog