Foto do artista Voz Sem Medo

Um Deus, Dois Ladrões (part. Realidade Cruel)

Voz Sem Medo


Sinceramente parceiro,
Não sei o que me deu, quando o crente chego,
Perguntou se eu era ateu?
Pergunta besta, qual é? c que treta comigo?
Coroa sem noção, vai querer corre o perigo.
Eu fui pra casa no caminho não parei de refletir,
Será que deus resolveu agora me perseguir,
Há quase um ano depois, do meu último homicídio
Num barraco decidido, sentei aço no patrício,
Era ladrão, conhecido, tambem ex-presidiário
Me devia uma ponta quis me fazer de otário
Tava nós dois no bang, assalto bem sucedido
Ele ficou com os eletro pra vender e deu perdido
Ai sumiu, carai fudeu, desapareceu
No catatau ligou to preso
Respondi problema seu
Só quero minha cota na palma da minha mão
Cada onça do negócio sussega minha ambição
Na rua no mundão, ladrão já esqueceu
Anda pra lá volta pra cá, desfilando a galisteu ó
No dia anterior, me trombou no giro louco
O catei pela camisa quase quebro seu pescoço
Disse que era homem novo, crente convertido
Palitó terno e gravata, até tava sorrindo
Me mostrou um livro preto me falou de salvação
Dei risada na cara do prego sente o frio do oitão
Vou te dar somente um dia depois quero meu dinheiro
Se vira faz seu corre, assalta quenga no puteiro
Ou então pede ao seu pastor, o dízimo do senhor
Mete a mão na sacolinha escondido no louvor
Coronhada na cabeça pra mostrar o poder, e maldade
Chutei ele ali no chão, somente por crueldade
Reagir? c tá loco nem mexeu na agressão
Mas no final sussurou jesus te ama irmão...
Eu fingi que não ouvi, fui direto pro buteco
Beber, cheirar, fumar, com as vadias fazer sexo
Homem de palavra sangue ruim, carniceiro
Acordei na intenção de dar trabalho pro coveiro
Mó dia esquisito diferente do normal,
O tempo fechou de repente, ué cadê o sol?
Naquela tarde na casa do cara entrei, tava vazia
Dei geral, sem sucesso,quarto, sala e cozinha
Sentei pra fumar um, deu até tempo de pensar
Nem é tanta grana assim, pra eu ter que matar.
To com os pensamento estranho, acho melhor deixar
Mas e minha moral, onde vai ficar?
Ai a noite cai fico naquela impaciente
Anda logo, termina, esse culto de crente
As 10 ele chego, a porta abriu lentamente
Tranquilo nem assustou, sentou na minha frente
Pela primeira vez, confesso tremi na base
No instinto puxo o cão, ladrão boa viagem!

Douglas:

Então tá bom, você veio até a mim
Como se fosse seu dom, nessa história por um fim
Loco, cheio de sede pude ver no seu olhar
Disposto a qualquer custo do meu erro me cobrar,
Relembrei de antigamente, duas 9 vários pente,
Dois doentes mentalmente atrás de algo reluzente
Ouro, rubi, esmeralda diamente por que não?
Dólares é o carpe diem dentro do cofre da mansão
Meu apetite realmente era mais do que febril
Chega a me dar arrepio, só de lembrar os fuzil
Em minha mãos e a vítima com a mão na nuca orando
Sua ação sempre ríspida no chão corpo sangrando
É você, não entende é difícil compreendo
Aquele que enfiava bala e era seu parceiro, truta
Já faz um tempo que dessa ele partiu
Aqui na sua frente tá mais um que deus urgiu
Morri e nasci pelo sangue do calvário
Aquele que era monstro ao seu lado foi enterrado
Dentro de mim e em você veio até aqui propor
Que o anjo serafim me levasse até o senhor
Inconscientemente veja bem mano c não sabe
Que minha morte servirá pra ser feito outro milagre
Em nome do senhor jesus pra tudo tem propósito
Do início do ciclo vital até o momento do óbito
E seja feita a vontade do meu mestre
C lembra uma ano atrás? aquele humilde pedestre?
De chinelo e uma bíblia debaixo do braço
O encontrei na cadeia pregando um salmo!
Perguntei:
- ow meu bom que te traz aqui no inferno?
Justo eu sei que tu és e o caminho que segue é o correto?

Me respondeu:

- é você meu amado irmão aqui para esta missão
Em nome do deus de abraão
Eu lhe convoco, lavante e segue a minha lei
Que um dia morrerás mas será em nome do rei"

Me arrepiei de joelho ali aos prantos
Aceitei recebi o divino espírito santo
A sua arma que um dia já foi nossa
Agora aponta para mim e sinto a sua voz raivosa
Que não é em vão, o dedo acionado no cão
Vai atirar em meu rosto, balas em meu coração
E sem perdão senta o aço e puxa o gatilho
Porque no céu eu estarei a direita de cristo
Aqui caído e você me chutando
Enfim meu coração parando posso até sentir o manto
De quem me acolhe no seu olhar eu vejo
Que no fundo ainda sofre mas tudo tem seu preço né?
Chegou a hora e tem anjos do meu lado
Alcancei a glória que tanto tinha sonhado
Feliz em saber que a minha morte servirá
Como passaporte para no céu você poder entrar
Vem na minha memória isaac, dimas, salomão
O eco do disparo como se fosse um trovão!
No tapete baleado, imóvel mas traquilo
Adeus, te espero acima das nuvens meu amigo
Embora aqui vos digo, que fique na lembrança
Querido, enfim jesus te ama !

Adicionar à playlist Tamanho Cifra Imprimir Corrigir