[Thai Flow]
Toda luta que preze igualdade tende ao fracasso
Não somos iguais, somos únicos!
Seres em evolução, entendam
Estamos aqui pela equidade
Justiça. Queremos justiça! Nada mais

Eu já me vendi nas esquinas
Eu já me arranhei nas esgrimas
Cês mataram a menina
Agora vão ter que me ouvir

Como Dandara que lutou junto de zumbi
E nem ouvi fazer homenagem
Cês tem tesão em ménage
Nos fode em coletivo pra dizer que o som é agressivo

Nem me fez gozar e quis ouvir o meu gemido
Menos vaidade, atacar uma as outras
Não passa de auto-sabotagem
Cês gostam de viagem
Então passem a levar a própria bagagem

Sem sucessagem
Ninguém mais nos segura
Eu cheguei
Aumenta o som pro tom

Te explicar do porque que eu demorei
Ou Eparrey
Taca fogo, taca fogo
Fênix não morre seu bobo
(Não, oh não)
Fênix não morre seu bobo

[Nabrisa]
Ah, this girl is on fire
Sei que cês quer tacar fire
Só que eu sou ariana
Tô acostumada com fogo
Queimar e sobreviver num inferno astral

Trago no peito Sabota
Machista embaixo da bota
No peito trago a mensagem
Amor pelo outro

Tu tá na humildade
Eu sei que a verdade ainda vai me matar
Muitas foram chamadas
Só que eu fui escolhida
Pra amar um povo vazio
Que odeia o amor

Então vai, me chame de piranha por ter livre arbítrio
Sei que me querem calada
Meu erros me jogaram no fundo do poço
Mas como Levi, levitei
E quando levantei foi pra ser bem mais foda

Dinheiro nenhum pagará
Minha eternidade, minha liberdade
Na roda eu vi uma garotinha
De 8 anos em mim se espelhar

Eu vim lá de Campo Grande
Por isso a minha alma é grande
Isso já é o bastante
Pra ela nunca se esquecer
De eu me eternizar

Sou mais uma mina no meio da chama
No meio da lama
Diamantes caros, se Deus ta por mim
Então quem nos impedirá?

Não pode contra mim
Junta-se à nós e verá
Que a desculpa da puta
Foi não se purificar

Eu sei que é injusta a disputa
Mulheres não nasceram pra disputar
Disputar só afunda nós mesmas, nós mesmas
Então, mulheres nasceram pra se empoderar

Ô, seu filho da puta
Quem poderá impedir a ira de
Quem nunca pediu a sua opinião
E nunca pedirá, nunca pedirá
(Não, não)

Aê, menor
Eu tenho certeza que a tua opinião nós nunca pedirá

Uh, eles queimaram minhas asas
Arrancaram minha inocência
Só que a minha essência me fez ser essencial
Pra ser suficiente e tocar tanta gente
E ver que essa porra toda é superficial

Eles queimaram minhas asas
Arrancaram minha inocência
Só que a minha essência me fez ser essencial
Pra ser suficiente e tocar tanta gente
E ver que essa porra toda é superficial

[Lourena]
Eu vi a luz, em meio à escuridão
Onde não havia amor
Enxerguei a solução

Eu vi a luz, em meio à escuridão
Onde não havia amor
Enxerguei a solução

Como se fosse em 1910
Quebro a corrente dos pés
E continuo a voar

E quem diria que
Um momento eu seria a inspiração pra quem queria
Um dia voltar a sonhar

Do décimo andar eu vi
Tudo cair, tudo cair
Mas, eu tô com a sensação de que eu posso tocar o céu
E, tô tirando tudo o que colocam véu

É que eu tô
Fora da tua conduta
Que cês me ofusca, não me valoriza

Montei a mesa do banquete
Hoje a caça é por justiça
Meu corpo, minhas regras não é brincadeira
Meu corpo, minhas regras não é brincadeira

Levando o jogo
Buscando igualdade
Dos covardes que
Infelizmente não aguentam a pressão

Sei bem do embate
Que nos puseram tirando o foco do que é
A verdadeira inquisição

Eles não vão me parar, não não parar
Não vão parar, parar
Eles não vão me parar, não vão parar
Não vão parar

Por que eles querem um work, work
Com quê de machismo
E as entrelinhas eu já costurei

É porque cês adoram um filho
E usam meu trabalho
É mais fácil dizer que não fez

Não adianta tacar fogo porque eu já taquei
Não adianta tacar fogo porque eu já taquei
Ele não vão me parar, não vão parar
Não vão parar, parar

[Azzy]
Pode tacar fogo
Eu resisto
Eu insisto
Eu sou chama
Pode tacar fogo
Acredita em mim

Voltamos de novo
Com sorriso no rosto
Com sangue nos olhos
Linhas no meu bolso

Anos-luz à frente
Pronta pra dar o troco
Ressurgi das cinzas
Reconheci meu corpo

Entre minhas pernas é o fundo de um baú
Reproduzem ouro, reproduzem ouro
Ela tem olhos claros, minha Lua de azul
Reproduzem ouro, reproduzem ouro

Ô, mulher, deixa eu te perguntar
Cê sabe do poder que tem? Do poder que tem?
Ô, mulher, deixa eu te perguntar
Cê sabe do poder que tem? Do poder que tem?

Ó Deusa Lua
Me guia
Me ensina a amar
Não me deixe errar
E me dê forças pra eu nunca fraquejar

[Gabz]
Eu sou filha desse chão
Depois não vem dizer que
Eu não avisei
E não é questão de opinião
É sobre o que eu sou, é sobre o que eu sei

Alô alô Marciano
Aqui quem fala é da Terra
Peguem suas armas
Estamos em guerra

Disputando a memória
De uma nova era
Que se exploda o que era, me chame de Quimera

E eu não sei por onde começar
Tia Ciata veio, e me deu um patuá
Eu sou a Lilith
Montada em um leão de Judá
Eu só tô querendo ajudar
Escrevo pra cê enxergar

A voz das esquecidas
Das feras feridas
Das doidas doídas
Das loucas vividas
Não passo batida
Eu roubo a cena, sua mente e o sistema
Eu não faço rap, eu construo teoremas
Sem problemas, vermes e leões no mesmo ecossistema

Aqui a tigresa pode mais do que o leão
Eu boto pra fuder e isso nem é love song
Vivem mentiras como num pornô
Choram como Pierrot

Não sabem o que é sexo, nem o que é amor
Eu vejo tragédias em Déjà vu
Eu sou o resultado das coisas que eu vivi
Eu tô expondo minhas feridas
Como Frida, eu sofri
Minhas heroínas morrem de amar
Mas eu sobrevivi

É de doer
Ver eles ficar igual quem fez a própria mãe sofrer
A vida é um ciclo vicioso tão clichê

E a esperança é uma mulher preta
Cantando os rap mais pesado do planeta
E a esperança é uma mulher preta
Cantando os rap mais pesado do planeta

Depois não vem dizer que eu não avisei
Depois não vem dizer que eu não avisei

Adicionar à playlist Tamanho Cifra Imprimir Corrigir
Composição: Azzy / Gabz / Lourena / Nabrisa / thai flow · Esse não é o compositor? Nos avise.
Enviada por Hellen
Viu algum erro na letra? Envie sua correção.