Venham mais cinco, duma assentada que eu pago já
Do branco ao tinto, se o velho estica eu fico por cá
Se tem má pinta, dá-lhe um apito e põe-no para andar
De espada na cinta, já crê que é rei de quem e além-mar

Não me obriguem a vir para a rua
Gritar
Que já é tempo de embalar a trouxa
E zarpar

Tiriririri buririririri, tiriririri paraburibaiê
Tiii paraburibaiê
Tiriririri buririririri, tiriririri paraburibaiê

A gente ajuda, havemos de ser mais
Eu bem sei
Mas há quem queira, deitar abaixo
O que eu levantei

A bucha é dura
Mais dura é a razão que a sustem
Só nesta rusga
Não há lugar prós filhos da mãe

Não me obriguem a vir para a rua
Gritar
Que já é tempo de embalar a trouxa
E zarpar

Tiriririri buririririri, tiriririri paraburibaiê
Tiii paraburibaiê
Tiriririri buririririri, tiriririri paraburibaiê

Bem me diziam, bem me avisavam
Como era a lei
Na minha terra, quem trepa
No coqueiro é o rei

A bucha é dura
Mais dura é a razão que a sustem
Só nesta rusga
Não há lugar prós filhos da mãe

Não me obriguem a vir para a rua
Gritar
Que é já tempo de embalar a trouxa
E zarpar

Tiriririri buririririri, tiriririri paraburibaiê
Tiii paraburibaiê
Tiriririri buririririri, tiriririri paraburibaiê

Adicionar à playlist Tamanho Cifra Imprimir Corrigir

Posts relacionados

Ver mais posts