Foto do artista A286

Para Não Morrer Antes da Guerra

A286


Caí sim, mas já to de novo em pé, arromba
Vai ter que ser mais que isso pra
Fazer eu renunciar o cargo
Vai entender que crescer o zóio é a cota du ceis
E tudo foi pouco pra quem já morreu várias vez
Vê no que transformo o ato injusto
Que são das crises mais pesada e triste que mais descubro
Tive que perder e chorar, morrer de saudade
Pra valorizar o abraço, não deixar pra mais tarde
Ceis não tá nem ligado oh meu, mas sinceramente
Quase já me convenceu que o errado sou eu
Nos debate louco com Deus me disse foda-se o que vão falar
Serão pelas mesmas razões que vão te amar e te odiar
Na ripa desde os 8, chega a molhar o olho
Aliado já era, não revela seu ponto fraco
É quente, bem que alertaram, óh parça
Você é o dono do que cala, mas eterno escravo do que fala
Sei quanto custa o pão de cada dia
Jamais vou idolatrar hipócrita e condenar quem ripa
Triste é saber que entre nós, não prevalece
São vários Edir Macedo passando por Malcom X
Não conseguimos fugir do padrão de divisão
Em conflito por dinheiro, política e religião
Com as frustação em questão
Se odiando em freste o espelho
É triste memo, mas foram suas escolhas, parceiro

Mas se o amanhã me permitir fazer diferente
Pra não morrer antes da guerra
O que não matou, fortaleceu
Vai ser diferente

Que de tudo só irão restar histórias, é verdade
Lembranças boas e más convertidas em dor e saudade
É preciso valorizar a essência, sem maldade
Olhar pra tudo e vê o que o tempo faz com a embalagem
Aparentamos ser mais mais felizes
Esquece que o cenário não é real
É o melhor ângulo pra selfie
Que vai matar outro deprimido no quarto, sem paz
Crendo que só sua vida é um lixo olhando redes sociais
Perdem o amigo, mas não a piada
Irmãos se odeiam por inveja e conversa fiada
Ridicularizam méritos alheios
Unânimes que a vida é curta e o mundo é pequeno
É, deixa no gelo, aí já to viajando, na moral
Educação vem dor berço e o mundo que sonho é surreal
Onde pais e filhos se traem por bem material
Onde mãe ensina a criança a socar prima no quintal
Sei quanto custa o pão de cada dia
E não tem nada a ver com dinheiro
Tem a ver com vida
Com tempo de vida, o tempo que você leva
Na corrida contra o tempo pra fazer aquela moeda
Pra no fim ver que de qualquer forma perdeu
Que aquilo nem era o sonho, mas por ele vendeu o seu
É foda memo mas um dia acerto, ainda
Revivendo a esperança num mundo melhor pela minha filha

Mas se o amanhã me permitir fazer diferente
Pra não morrer antes da guerra
O que não matou, fortaleceu
Vai ser diferente

Adicionar à playlist Tamanho Cifra Imprimir Corrigir