Frevo Mulher (part. Elba Ramalho e Geraldo Azevedo)

Alceu Valença


Oh, é, oh

Quantos aqui ouvem, os olhos eram de fé
Quantos elementos amam aquela mulher
Quantos homens eram inverno, outros, verão
Outonos caindo secos no solo da minha mão

Gemeram entre cabeças, a ponta do esporão
A folha do não-me-toque, o medo da solidão (solidão)
Veneno, meu companheiro, desata no cantador
E desemboca no primeiro açude do meu amor
Meu amor, meu amor

É quando o tempo sacode a cabeleira
A trança toda vermelha
Um olho cego vagueia procurando por um
É quando o tempo sacode a cabeleira
A trança toda vermelha
Um olho cego vagueia procurando por um

Laiá, lalaiá

Quantos aqui ouvem, os olhos eram de fé
De fé, de fé
Quantos elementos amam aquela mulher
Quantos homens eram inverno, outros, verão
Outonos caindo secos no solo de minha mão
Simbora!

Gemeram entre cabeças, a ponta do esporão
A folha do não-me-toque, o medo da solidão
Veneno, meu companheiro, desata no cantador (cantador)
E desemboca no primeiro açude do meu amor
Meu amor, meu amor

É quando o tempo sacode a cabeleira
A trança toda vermelha
Um olho cego vagueia procurando por um
É quando o tempo sacode a cabeleira
A trança toda vermelha
Um olho cego vagueia procurando por um

É quando o tempo sacode a cabeleira
A trança toda vermelha
Um olho cego vagueia procurando por um (é!)
É quando o tempo sacode a cabeleira
A trança toda vermelha
Um olho cego vagueia procurando por um

Adicionar à playlist Tamanho Cifra Imprimir Corrigir

Posts relacionados

Ver mais no Blog