As suas palavras revelam
Os dias com seu irmão
Palavras que vão
Revelando um Deus

É como se fossem manhãs
Que chovem pra ter um sol
Como não poderão
Tocá-lo então

O seu fogo não hesita e foge em sua voz
O seu fogo é como um vento arrastando os sóis
O seu fogo varre os séculos e a solidão
O seu corpo ainda espera por essa paixão

O seu fogo não hesita e foge em suas mãos
Sobre o morro é como o vento que passa por nós
Sobre um morro é como o tempo arrastando os sóis
Essa chama ainda espera por consumação

O seu fogo não hesita e foge em sua voz
O seu fogo é como um vento arrastando os sóis
O seu fogo varre os séculos e a solidão
Essa chama ainda espera por consumação

Em vão...

Todos os dias a brisa vem
E leva os desejos da carne à voz
Trazendo a carência sobre o seu orgulho
E para eternizar instantes de prazer
Só lhe restarão palavras às manhãs

O seu fogo não hesita e foge em sua voz
O seu fogo é como um vento arrastando os sóis
O seu fogo varre os séculos e a solidão
O seu corpo ainda espera por essa paixão

O seu fogo não hesita e foge em suas mãos
Sobre o morro é como o vento que passa por nós
Sobre um morro é como o tempo arrastando os sóis
Essa chama ainda espera

O seu fogo não hesita e foge em sua voz
O seu fogo é como um vento arrastando os sóis
O seu fogo varre os séculos e a solidão
Essa chama ainda espera

Em vão...

Adicionar à playlist Tamanho Cifra Imprimir Corrigir

Posts relacionados

Ver mais posts