Chromatica, de Lady Gaga, reinventa o dance para uma nova geração

Álbuns · Por Mateus Pereira Silveira

1 de Junho de 2020, às 16:00

Durante os últimos anos, foram intensos os apelos dos fãs para que Lady Gaga voltasse ao pop.

Depois de passar pelo jazz, flertar com o country e ser aclamada no cinema, a cantora atendeu aos pedidos e, para alegria dos Little Monsters, retornou ao gênero com o Chromatica. Graças a Deus!

Lady Gaga
Créditos: Divulgação

Na verdade, o comeback dela ao pop é mais profundo e trouxe influências musicais bem conhecidas. Assim como Dua Lipa e The Weeknd, Gaga bebeu da fonte nostálgica dos anos 80/90 e ressuscitou para a nova geração o ritmo do eurodance. 

Para você apreciar esse hinário em loop infinito, nós preparamos esse post especial contando o que mais gostamos do Chromatica e mais detalhes da nova era. 

A espera pelo LG6

Era começo de 2019 quando Lady Gaga anunciou que seu próximo trabalho estava a caminho. Foi um tal de procurar pistas nas redes sociais dela que nosso coração não aguentava mais de tanta expectativa. 

Pula para janeiro deste ano, quando Stupid Love vazou na internet e um mês depois foi anunciado como novo single e ganhou um clipe gravado inteiramente com um iPhone 11. 

Não demorou muito pra ela divulgar o nome do álbum e a tracklist, elevando a ansiedade dos fãs. Porém, o lançamento, previsto para abril, foi adiado devido à pandemia de Covid-19, mas a cantora não deixou seus fãs desamparados. 

Entre entrevistas e posts, Gaga chegou a criar a playlist Welcome To Chromatica, preparando o terreno para a gente conhecer esse novo planeta.

Agora que ele já habita entre nós, o álbum estreou em todas as mídias com 3 singles lançados e a promessa cumprida de muito pop pra não deixar ninguém parado

Capa do álbum Chromatica
Capa do álbum Chromatica / Créditos: Divulgação

Então, o voo com destino a Chromatica sai em instantes, você vem com a gente? 😀

Os conceitos e o time por trás de Chromatica 

A Terra está cancelada. Eu vivo em Chromatica.

Sabendo que viver no planeta Terra em 2020 não está fácil para ninguém, Lady Gaga foi lá e criou um universo paralelo! 🤣

Brincadeiras à parte, o cancelamento figurativo na fala da cantora está ligado a uma ruptura com os pesos do passado e aqui ela usa a música para se curar

Lady Gaga
Créditos: Divulgação

O clima interplanetário se reflete no visual dos materiais promocionais e no encarte do disco. A estética apresentada e os figurinos de Gaga trazem um conceito alienígena com um toque de balada pós-apocalíptica. Ou seja, tudo que os Little Mosters amam.

As letras libertadoras e o ritmo dançante mostram que ela está em outra esfera. O objetivo da cantora foi trazer mensagens mais alegres e contagiantes, para que os seguidores e todos possam encarar o mundo de outra maneira. 

Por trás de suas ideias e universos particulares, Stefani Germanotta contou com um time de peso para produzir e compor cada canção, entre eles BloodPop, Skrillex e o DJ Axwell. Juntos eles conseguiram mesclar diferentes ritmos frequentes em baladas: o disco, o eletropop e o eurodance

Lady Gaga
Créditos: Divulgação

Experiente no mercado musical, a diva deu um tempo da figura hollywoodiana construída para as premiações de Nasce Uma Estrela e voltou às características dos primeiros álbuns, com visuais extravagantes e coloridos, assim como o mundo a conheceu. 

As músicas do novo álbum de Lady Gaga

Muita dança, muita cor, muita personalidade. A ideia de um mundo distópico soa como uma escapismo emocional para o momento que passamos. Chromatica chegou em boa hora para trazer sentimentos mais positivos. 

Contando com os interlúdios, são, ao todo, 16 músicas. Separamos elas por características em comum: as parcerias, a temática das letras e o estilo dos beats com breves comentários. Vamos lá? 

As parcerias de Chromatica 

Pensando em públicos de diferentes gostos e idades, a Mother Monster trouxe convidados bem ecléticos para o sexto álbum. 

Rain On Me, dueto com Ariana Grande, é a farofa pop que todos esperavam e tem tudo para ser uma das músicas do ano. Com um ritmo bem contagiante, ela trata de superação de traumas e dá o incentivo para seguir em frente

O clipe, que é carregado de referências a outras fases das duas artistas, conta com um visual e uma coreografia para ninguém botar defeito. Dá até vontade e saudades de sair para dançar com os amigos, né @?

Depois da parceria com Ariana, ela lançou o single mais recente, Sour Candy. As colaborações entre estrelas da música e artistas de k-pop estão cada vez mais frequentes e Gaga trouxe as meninas do BLACKPINK para um dueto inusitado e marcante. 

A dualidade do doce azedo está presente tanto nos versos quanto na mistura de idiomas (inglês e coreano), que traz identidade à canção. Com uma pegada de house dos anos 90, a canção chegou para ficar na história dos charts e nos fez querer o clipe o mais rápido possível 😁

Lady Gaga e Elton John são amigos há muitos anos e a participação dele em Chromatica era imaginada em uma balada romântica. Para a surpresa geral, Sine From Above é uma faixa mais dance, com vários elementos eletrônicos e que chegam a arrepiar no trecho final mais acelerado. 

House Music com letras pessoais 

Os intervalos colocados dentro do disco marcam trechos bem definidos, com assuntos que conversam entre si e tem uma sonoridade que mistura o estilo da cantora em trabalhos de mais sucesso, como Born This Way e The Fame Monster, com o eletrodance dos anos 2000. 

Capa do álbum The Fame Monster
Capa do álbum The Fame Monster / Créditos: Divulgação

A liberdade é um tema frequente nas primeiras músicas. Enquanto Free Woman é uma declaração de independência e de poder feminino, principalmente pelos vocais de Gaga, Fun Tonight e Replay tem mais peso e sofrimento ao falar de relacionamentos abusivos. São daquelas que dão vontade de chorar e dançar ao mesmo tempo, sabe? 

Alice, que se inspira na personalidade clássica da literatura, é como uma viagem pelos pensamentos confusos da cantora, em que a solução é a fuga para o País das Maravilhas. Para Lady Gaga, esse lugar é Chromatica

Suas experiências com a depressão ganham voz em 911, que faz referência ao número de emergência nos Estados Unidos. Com um efeito robótico na voz e na mixagem de som, a letra impacta por transmitir os momentos de maior debilidade da cantora

Já a faixa seguinte, Plastic Doll, é uma ótima crítica social sobre a transformação das celebridades em brinquedos da mídia. A letra música conversa muito com Material Girl, da Madonna, que trata do mesmo assunto.

Além do sucesso Stupid Love, o disco tem sua canção mais melódica e menos dançante com 1000 Doves. Já Babylon vai no sentido contrário e também lembra um pouco Vogue, da Madonna, pois a canção tem as batidas marcadas, perfeitas para dançar. Por fim, Enigma, que parece ter sido tirada de uma playlist de DJ dos anos 90.

Agora que você conhece um pouquinho mais de cada uma, já dá pra ouvir cada música no repeat infinito por um bom tempo! 😂

A recepção da crítica e as reações pela internet 

Se as primeiras posições nas listas musicais se confirmarem nas próximas semanas, elas vão estar bem embasadas pelas opiniões positivas da imprensa. Veículos e jornalistas consagrados confirmam que Chromatica era o frescor que todos aguardavam e elogiam o toque pessoal com a sonoridade que une diversas tribos do pop.

No Twitter, o alvoroço não foi pouco. O estilo animado das músicas fez o pessoal dançar e se empolgar de casa mesmo.

De artistas a anônimos, o sucesso é enorme. Até a atriz Flávia Alessandra surpreendeu seus seguidores dançando Rain On Me e trocando seu avatar para entrar na vibe do momento! 

Chromatica é realmente um respiro no pop e já nos deixa ansiosos por futuros lançamentos que vem por aí esse ano, já que aguardamos a volta de Adele e a expectativa de a Rihanna nos presentear com um novo trabalho, não é mesmo? 

Mais Lady Gaga para você curtir 

Não é de hoje que a Mother Monster encanta seus fãs com músicas perfeitas e letras que mexem com a gente. Por isso separamos as melhores frases da Lady Gaga para você apreciar sem moderação. 

Frases da Lady Gaga