Você precisa saber o significado da música “Pais e Filhos”, da banda Legião Urbana

Examinando letras · Por Lorena Camilo

14 de Junho de 2019, às 07:00

Imagine esse cenário: uma rodinha de violão com os amigos, seja em um luau, num acampamento ou em uma festa. A pessoa que está tocando diz: “me fala uma música para tocar!”. Com certeza Pais e Filhos, da banda Legião Urbana, será pedida, pois é um clássico da MPB.

Essa canção foi single do álbum As Quatros Estações, lançado em outubro de 1989, e até hoje, tanto a melodia quanto a letra comove as pessoas. Mas você sabia que a letra dessa música fala sobre suicídio? Entenda melhor essa história nesse post!

A opinião de Renato Russo sobre a letra da música

Em 1994, no Programa Livre, transmitido pelo SBT e apresentado naquele período por Serginho Groisman, o vocalista do Legião solta o verbo:

“Escuta! Vocês sabem que essa música é sobre suicídio, né? Porque todo mundo pede música da Legião e fica um auê, entendeu? Essa música é muito, muito séria.” Confira o depoimento do cantor:

Renato completa dizendo que gosta de saber que as pessoas acham a música bonita, mas se preocupa porque existe todo um clima muito romantizado em torno da letra, o que ele achava problemático, já que se trata de uma composição seríssima. E admite: “Eu não aguentaria ouvir duas vezes seguidas.” Por fim, antes de tocar a música, pede para que as pessoas interpretem a letra e prestem bastante atenção por se tratar de uma temática bastante forte.

A conexão de fatos reais na composição de Pais e Filhos

Há quem diga que Renato escreveu Pais e Filhos após uma amiga ter cometido suicídio. Contudo, o próprio disse no Programa Livre que essa música, em especial, reflete bastante sobre um momento de sua vida da qual ele não gostava de lembrar, e, por essa razão, preferia tocar outras músicas.

Podemos relacionar essa afirmação  ao fato de Renato ter tentado suicídio mais de uma vez. Inclusive, em 1984, alguns meses após a Legião ter assinado um contrato com a EMI, Renato, que até então seria vocalista e baixista, após uma tentativa de suicídio passou a liderar apenas o vocal da banda.

Banda Legião Urbana
Formação clássica do Legião Urbana: Marcelo Bonfá na bateria, Dado Villa-Lobos na guitarra, Renato Russo no vocal e Renato Rocha no baixo / Créditos: Divulgação

Outro fato que complementa a análise da letra é a declaração de Renato ao dizer que Pais e Filhos reflete bastante a situação dos componentes da banda enquanto pais, ou seja: a dele, de Marcelo Bonfá e de Dado Villa-Lobos.

Agora que você já sabe a opinião de Renato sobre a composição, como o suicídio era um tema que mexia com ele e como era a relação pessoal dos três integrantes da banda, vamos analisar a letra que eles compuseram.

Significado de “Pais e Filhos” parte a parte

Já que o Renato falou que é preciso compreender a letra, vamos analisar cada verso para desvendar a seriedade por trás da cada estrofe. Vamos lá?

Estátuas e cofres e paredes pintadas
Ninguém sabe o que aconteceu
Ela se jogou da janela do quinto andar
Nada é fácil de entender

Como o próprio Renato disse, e esse primeiro verso deixa explícito, a música é sobre uma garota que cometeu suicídio. Esse primeiro verso fala da confusão no momento que descobrem que a garota se jogou de um prédio e, por isso, não existirá mais o amanhã para ela. 😔

A partir da relação conflituosa que existe entre alguns pais e filhos, nos demais versos da música há uma reflexão sobre a vida das pessoas que possuem um laço sanguíneo.

Dorme agora
É só o vento lá fora

Nesse verso acima, a frase é dita pelos pais, que estão tentando tranquilizar a criança. O vento lá fora é uma metáfora dos problemas que existem e podem deixar o filho (ou a filha) com medo.

A partir dessa estrofe, é preciso estar atento, porque que há troca de personagens. Ora podem ser os pais (seja um pai ou uma mãe) ora pode ser o filho (ou a filha, mas entende-se por uma pessoa jovem, em fase de crescimento e de amadurecimento).

Quero colo! Vou fugir de casa
Posso dormir aqui, com vocês?
Estou com medo, tive um pesadelo
Só vou voltar depois das três

Já nesse verso vemos o crescimento do filho (ou filha). Primeiro é uma criança pequena falando que quer ser acolhida pelos pais, como em:

Quero colo!… Posso dormir aqui, com vocês? Estou com medo, tive um pesadelo…

Depois, quando vai ficando mais velha e passa a não querer dar muitas satisfações aos pais, como em:

Vou fugir de casa… Só vou voltar depois das três

Meu filho vai ter nome de santo
Quero o nome mais bonito

Aqui ocorre a segunda troca. Sabe aquela criança que se tornou jovem? Agora ela é um adulto que já pensa em seu futuro filho (ou filha).

É preciso amar as pessoas
Como se não houvesse amanhã
Porque se você parar pra pensar
Na verdade não há

Nessa parte aparece, pela primeira vez, o icônico refrão. E o significado é que não se deve deixar nada para depois, pois o amanhã não existe, só existe o agora. As chances, as pessoas e a vida devem ser aproveitadas a cada momento.

Me diz, por que que o céu é azul?
Explica a grande fúria do mundo
São meus filhos
Que tomam conta de mim

Eu moro com a minha mãe
Mas meu pai vem me visitar
Eu moro na rua, não tenho ninguém
Eu moro em qualquer lugar

Já morei em tanta casa
Que nem me lembro mais
Eu moro com meus pais

Lembra que o Renato disse que essa composição reflete bastante a relação dos três membros da banda? É possível que deve ter rolado uma conversa bastante reflexiva entre eles sobre os comportamentos, obrigações e responsabilidades depois que se tornaram pais. Os versos acima demonstram os distintos diálogos, questionamentos e vivências de diferentes famílias.

Dado Villa-Lobos, Renato Russo e Marcelo Bonfá
Dado Villa-Lobos, Renato Russo e Marcelo Bonfá, os integrantes da banda que tinham filhos / Créditos: Divulgação

Ou seja, uma criança questionando algo para os pais; os filhos que cresceram e passaram a cuidar dos pais; a relação de uma pessoa com pais separados; a situação de pessoas que não possuem família e lar e a relação de quem vive com os pais.

É preciso amar as pessoas
Como se não houvesse amanhã
Porque se você parar pra pensar
Na verdade não há

O refrão é cantado de novo para reforçar a ideia de que se deve aproveitar cada minuto e cada vivência.

Sou uma gota d’água
Sou um grão de areia
Você me diz que seus pais não entendem
Mas você não entende seus pais

Esse verso se conecta com o refrão para fazer um paralelo. Devemos aproveitar cada segundo porque somos seres finitos, que podem morrer a qualquer momento. Somos tão pequenos, como uma gota d’água, como um grão de areia, e, por essa razão, devemos aproveitar àqueles que nos cercam. Os pais devem amar e aproveitar os filhos, assim como os filhos devem amar e aproveitar os pais.

É tão comum, né? Na juventude as pessoas não entendem muito o que está acontecendo consigo e com o mundo ao seu redor. Uma atitude habitual é culpar os pais e dizer que eles não os entendem. Mas isso é uma fase, e o próprio Renato diz no próximo verso:

Você culpa seus pais por tudo, isso é absurdo
São crianças como você
O que você vai ser
Quando você crescer?

Crianças crescem e se tornam jovens, que se tornam adultos, que depois se tornam pais… Ou seja, ser pai e mãe não vem com manual de instrução, tudo se baseia em uma construção da vivência, do dia após dia, dando seu melhor.

E, por fim, a última frase, é uma interrogativa: “O que você vai ser quando você crescer?”. A resposta é: pai ou mãe. Alguém vai te pedir colo, vai pedir pra dormir com você, você ficará preocupado enquanto o filho (ou filha) não volta para casa tarde da madrugada… e assim o ciclo da vida continua.

Mais clássicos

Renato Russo tinha razão, né? É uma letra bem forte e reflexiva. Que tal ouvir com seus pais, filhos e familiares e aproveitar esse momento em que estão juntos? Aproveita e conta aqui nos comentários o que vocês acharam! 👇😊

Aproveite e relembre a trajetória e outros clássicos da Legião Urbana, banda que revolucionou o rock brasileiro.

Curte análise de músicas? Talvez você goste desses posts: