Isso é sede que não vem da água
Que me instiga da cabeça aos pés
É um tudo que chega do nada
Trem de doido, só sabe quem é

Isso é sede que não vem da água
Que me instiga da cabeça aos pés
É um tudo que chega do nada
Trem de doido, só sabe quem é

E eu desconfio dos hábitos
E eu boto fé no viver ávido
E eu desconfio dos hábitos
E eu boto fé no viver ávido
E eu desconfio dos hábitos
E eu boto fé no viver ávido
E eu desconfio dos hábitos
E eu boto fé no viver ávido

Existe um desgaste do novo
Se repete e dá nojo
E isso você não quer ver
Existe um deslumbre dos bobos
Fajuto e grandioso
E isso já engole você

Existe um desgaste do novo
Se repete e dá nojo
E isso você não quer ver
Existe um deslumbre dos bobos
Fajuto e grandioso
E isso já engole você

E eu desconfio dos hábitos
E eu boto fé no viver ávido
E eu desconfio dos hábitos
E eu boto fé no viver ávido
E eu desconfio dos hábitos
E eu boto fé no viver ávido
E eu desconfio dos hábitos
E eu boto fé no viver ávido

E eu desconfio dos hábitos
E eu boto fé no viver ávido
E eu desconfio dos hábitos
E eu boto fé no viver ávido

Adicionar à playlist Tamanho Cifra Imprimir Corrigir
Composição: Boogarins / Dinho Almeida · Esse não é o compositor? Nos avise.
Enviada por Vitor
Viu algum erro na letra? Envie sua correção.