Há uma longa avenida onde os meus desejos são diluídos junto ao meu sangue que brilha
por ela quem sou se não mais um
Me desdobro em gentilezas para recebê-la
Um banheiro imundo é um reino à parte
Versos de nicotina e poemas etíticos são alentos para o meu sono desolado

Há uma longa ferida onde meus amores são absorvidos pelos desejos meus
por ela quem sou se não mais um
Um carnaval imundo é o meu reino e ponte
São versos que me contém
Sou só...
Um a longa avenida para os desabores do mundo.

Adicionar à playlist Tamanho Cifra Imprimir Corrigir