Se não houver o amanhã
Se a beleza se quebrar e me calar o canto
Faça o que quiser eu entendo
Se a delícia insana dos momentos de paixão
Tomar de delírio o, meu vadio e pobre
Coração eu me rendo...
Eu me prendo
Nos ventos que me trazem todo o cheiro seu
Nos versos de alguém louco como eu,
Numa alegria
Na poesia daquele que já bebeu do amor
A fantasia que doeu, que doeu
Se eu gastar um tempo inteiro assoviando
Um blues
A vida vai querer coragem para
Entrarmos nus na curva
Sob chuvas de verão que deixarão na cara
Um lindo dia assim em tons de azul (bis)
Se houver o amanhã
Se a beleza me eleger prá me secar o pranto
Faça o que puder eu entendo, eu me prendo
Na luz desse amor, essa luz de cor vermelha

Nos ventos...

Adicionar à playlist Tamanho Cifra Imprimir Corrigir

Posts relacionados

Ver mais posts