Faça login para habilitar sua assinatura e dê adeus aos anúncios

Fazer login
exibições de letras 110.128

Isso Aqui É Uma Guerra

Facção Central

Dum Dum
É uma guerra onde só sobrevive quem atira
Quem enquadra mansão, quem trafica
Infelizmente o livro não resolve
O Brasil só me respeita com um revólver, aí
O juiz ajoelha, o executivo chora
Pra não sentir o calibre da pistola
Se eu quero roupa, comida alguém tem que sangrar
Vou enquadrar uma burguesa e atirar pra matar
Vou fumar seus bens e ficar bem louco
Sequestrar alguém no caixa eletrônico
A minha quinta série só adianta
Se eu tiver um refém com meu cano na garganta
Ai não tem gambé pra negociar
Liberta a vítima, vamos conversar
Vai se ferrar, é hora de me vingar
A fome virou ódio e alguém tem que chorar
Não queria cela nem o seu dinheiro
Nem boy torturado no cativeiro
Não queira um futuro com conforto
Esfaqueando alguém pela corrente no pescoço
Mas 357 é o que o Brasil me dá
Sem emprego quando o prego de Audi passar
Aperta o entra cuzão e digita
Esvazia a conta, agiliza, não grita
Não tem Deus nem milagre, esquece o crucifixo
É só uma vadia chorando pelo marido
É o cofre versus a escola sem professor
Se for pra ser mendigo doutor
Eu prefiro uma Glock com silenciador
Comer seu lixo não é comigo, morô?
Desce do carro senão tá morto
Essa é a lei daqui, a lei do demônio
Isso aqui é uma guerra

Eduardo
Não chora, vadia, que eu não tenho dó
Dá bolsa na moral não resiste o b. O
Aqui é outro brasileiro transformado em monstro
Semi-analfabeto, armado e perigoso
Querendo sua corrente de ouro
Atacando seu pulso, atacando seu bolso
Pronto pra atirar e pronto pra matar
Vai se foder, descarrega essa PT
Mata o filho do boy como o Brasil quer ver
Esfrega na cara sua panela vazia
Exige seus direitos com o sangue da vadia
É a lei da natureza, quem tem fome mata
Na selva é o animal na rua é empresário inconsequente
Insano doente
O Brasil me estimula a atirar no gerente
Aqui não é novela, não tem amor na tela
A cena é triste é solidão na cela
Nem polícia pega boi, deita escrivão
Abre a cela carcereiro, liberta o ladrão
Tem M10 de alvará pra liberdade
Seu oitão é uma piada, gambé covarde
Cala a boca e aplaude o resgate
He cala a boca e aplaude
Boy quem te protege do oitão na cabeça
Sua polícia no chão do DP sem defesa
Rezando pro ladrão ter pena. Que pena
Seu herói pede socorro nessa cena
Quer seu filho indo pra escola e não voltando morto?
Então meta a mão no cofre e ajude nosso povo
Ou veja sua mulher agonizando até morrer
Por que alguém precisava comer
Isso aqui é uma guerra

Adicionar à playlist Tamanho Cifra Imprimir Corrigir
Enviada por Paulo. Legendado por Isabella e Jorge. Revisões por 4 pessoas . Viu algum erro? Envie uma revisão.

Comentários

Envie dúvidas, explicações e curiosidades sobre a letra

0 / 500

Faça parte  dessa comunidade 

Tire dúvidas sobre idiomas, interaja com outros fãs de Facção Central e vá além da letra da música.

Conheça o Letras Academy

Enviar para a central de dúvidas?

Dúvidas enviadas podem receber respostas de professores e alunos da plataforma.

Fixe este conteúdo com a aula:

0 / 500


Opções de seleção