Foto do artista Gildo de Freitas

Rancho de Capim Barreado

Gildo de Freitas


Eu tenho um rancho de capim barreado
Que não é grande mas não é pequeno
Mas dentro dele eu vivo entusiasmado
Por que agasalha um gaúcho bueno
Ate minha guaiaca de couro
Que esta meio roida por fora
Já guardo muitas moedas de ouro
Esta guardando os cruzeiros de agora

Tenho um cavalo na estrebaria
E duas vacas jersey na cocheira
É o meu primeiro serviço do dia
Puxar no teto da vaca tambeira
Ate a água lá do meu açude
Ela espelha o corpo da gente
Quando é verão a água é fresquinha
E quando é inverno ela fica mais quente

Meus dois cachorros são meus dois amigos
Fazem o serviço do homem campeiro
E se eu na lida entrar em perigo
Tenho confiança nos meus companheiro
Eu tenho tudo e não me falta nada
Pra meu consolo eu tenho a minha prenda
Esta é a minha esposa sagrada
Que admira a minha fazenda

Eu felizmente me casei com ela
Por que admira minha vida rude
Só toma água da minha vertente
Só banha o corpo lá no meu açude
Naquele rancho de capim barreado
Vivemos nois ali de lado a lado
Por que agasalha um gaúcho bueno
E nós vivemos entusiasmados

Adicionar à playlist Tamanho Cifra Imprimir Corrigir