São varias faces da morte
Foram muitas as incertezas sentidas
Memórias de outrora
Que Cronos revive
Em presentes tempos
Se efêmeros sentimentos

Destino que guia-me
Aos braços de Hades
Senhoras da vida e da morte
Meus rogos a vós

O fim de uma existência
A suprema dor da dúvida
O medo carrasco da alma
Sentencia nossa íntima agonia

Keres morte alada
Negras emissários
Violência e dor
De um ultimo suspiro

Mistérios que regem a vida
O passado, presente e futuro
Revelações, repetições
Que não conseguimos destruir

Sabias moiras
Faces angelicais e infernais
Do destino que dita
A desgraça do sangue
A benção da alma

A batalha entre deuses e demônios
Através de eras
O reflexo de lendas
Neste eterno momento

Cronos, Láquesis, Acropos
Eu me curvo ante teus sábios julgos

Minhas lembranças que viajam com o vento
Minhas preces a místicas figuras
Minhas mortes esquecidas
Minhas idas, minhas vindas

Adicionar à playlist Tamanho Cifra Imprimir Corrigir

Posts relacionados

Ver mais posts