Já Usou Drogas Hoje?

Kant


Colei na célula, abalei minhas células
Peguei meu celular e escrevi algo
Sem no meu sangue ter álcool
E desta vez não estou visando às cédulas
Sinto a dor do eterno, meu monstro interno
Passeando novamente em meu caderno
Meu coração frio, e eu querendo saquear o inferno, saca?
Falsos profetas virão, falsos profetas verão
Que suas palavras não serão quentes nem no verão
Então se der, só sobreviva
Me orgulhando de estar mergulhando na morte
Pra me afogar em rios de águas viva

Sinto como se esse mundo todo fosse meu
Mas eu nunca soube o que fazer com minhas coisas
Sinto que algo nesse mundo me escolheu
Sei que não fui eu, pois não sei fazer boas escolhas

Não sou exemplo para ninguém
Mas já fui exemplo de como ser um ninguém
Arrumei uma garota
Que me chamava de meu bem, mas queria meu mal
Ela indicou, que eu me afogasse no oceano indico
Sobre eu não amar há indícios, hoje piranhas me rodeiam
Será que eu sou um monstro mítico?
Talvez seja, mas eu vou compor
A rua tá foda para alguns caras
Pois só andam por via das dúvidas
Sozinho nas ruínas
E por foda, outros vão por via das dívidas
Vá se fuder, por favor
As ideias do Kant são quente
Então vá se fuder, por fervor
Eu tenho que crescer
Me estabelecer
Ao Deus do universo peço proteção
Já que não teve para eu nascer

Sinto como se esse mundo todo fosse meu
Mas eu nunca soube o que fazer com minhas coisas
Sinto que algo nesse mundo me escolheu
Sei que não fui eu, pois não sei fazer boas escolhas

Sinto como se esse mundo todo fosse meu
Mas eu nunca soube o que fazer com minhas coisas
Sinto que algo nesse mundo me escolheu
Sei que não fui eu, pois não sei fazer boas escolhas

Adicionar à playlist Tamanho Cifra Imprimir Corrigir

Posts relacionados

Ver mais posts