Por toda casa o que me embala é o teu som
Estou tão louco em tons, perto dos Jetsons
Por todo livro, tudo o que você não tem
Por todo hoje, explicação por todo ontem

Tão difícil te crer
Pior ainda acreditar
Tão difícil te ser
Pior ainda te estar
Tão difícil viver
Pior ainda respirar
Tão difícil te esquecer
Pior ainda te amar

Nas tuas cordas já estou por um triz
Pelo país, pelo teu chão
Tintas velhas de um outro estação
Cores que vem, cores que vão

Estão num canto as chaves, sei que você vem
Espero todo zen, de super-homem
Na secretária frases, vozes de ninguém
Por todo hoje, explicação por todo ontem

Tão difícil te ver
Pior ainda te enxergar
Tão difícil correr
Pior ainda te alcançar
Tão difícil morrer
Pior ainda te matar
Tão difícil te dizer
Pior ainda te contar

Você vira e você me diz, toda feliz
Pelo teu não
Poesias na escuridão
Versos que vem, versos que vão

Duas balas festis de anis
Tudo o que eu quis, tudo que não
Tudo azul na tua imensidão
Sonhos que vem, sonhos que vão

Palavra pelo vento, tento me calar
Na volta o mesmo tempo para te encontrar
Alguém que nega e foge da verdade
Alguém careta que se esconde e pede piedade

Tão difícil te crer
Pior ainda acreditar
Tão difícil te ser
Pior ainda te estar
Tão difícil viver
Pior ainda respirar
Tão difícil te esquecer
Pior ainda

Tuas frases tão rasas de atriz
Tudo o que eu quis, tudo que não
Pelo palco, meus textos no chão
Falas em vão, falas em vão

Você vira e você me diz, toda feliz
Pelo teu não
Poesias na escuridão
Versos que vem, versos que vão

Toda esquina tem um telefone
Por toda a agenda letras do seu nome
Espero alguém que passe e informe
Se nesta vida estou só ou tenho um codinome

Adicionar à playlist Tamanho Cifra Imprimir Corrigir
Composição: Rodrigo Pitta. Essa informação está errada? Nos avise.
Revisões por 4 pessoas . Viu algum erro? Envie uma revisão.

Posts relacionados

Ver mais no Blog