Quem não se prova nada sabe
Causa e efeito de uma estrada longa é às vezes
E que corre solta
Não se conformar é direito
Crime e castigo de um desejo
Bom é às vezes ser um pouco tanto

Nem seus pecados são mais você
E esse brilho todo
São riscos e coisas que nunca entendemos

Para a perfeição mais errada
Orgulho e medo bebem ao lado
Frágil às vezes pra quem foge e volta
Pra quem deseja serve ao ato
Ódio e respeito e a vontade real é às vezes
De quem mais se esconde

Nem seus pecados são mais você
E esse brilho todo
São riscos e coisas que nunca entendemos

Para ilusão
Realidade
Pensamento fome
Detalhes
Lentamente
Fácil como esquecer

Adicionar à playlist Tamanho Cifra Imprimir Corrigir

Posts relacionados

Ver mais posts