Eu não vou mudar
Respeita esse meu jeito, acanhado e matuto
Mas eu sei amar
Na cama, carinhoso, e na pista eu sou bruto

Moça, olhe bem pra esse vaqueiro
Já rodou o Brasil inteiro, correndo gado
Posso até ter ganho dinheiro
Ter virado fazendeiro, mas eu sou do mato

Gosto do cuscuz com leite
Da água do pote, do peixe do açude
Não veja essas mãos calejadas
Essa calça rasgada, é que nada me ilude

Meu português todo errado
Não sei se incomoda o jeito d'eu falar
Em vez de cima é em riba
Pra onde é pro donde, mais originá

Moça, esquece a cidade
Vem ver de verdade o que é ser amada
Eu só te peço uma coisa
Respeita o meu jeito, eu não mudo por nada

Eu não vou mudar
Respeita esse meu jeito, acanhado e matuto
Mas eu sei amar
Na cama, carinhoso, e na pista eu sou bruto

Eu não vou mudar
Respeita esse meu jeito, acanhado e matuto
Mas eu sei amar
Na cama, carinhoso, e na pista eu sou bruto

Moça, olhe bem pra esse vaqueiro
Já rodou o Brasil inteiro, correndo gado
Posso até ter ganho dinheiro
Ter virado fazendeiro, mas eu sou do mato

Gosto do cuscuz com leite
Da água do pote, do peixe do açude
Não veja essas mãos calejadas
Essa calça rasgada, é que nada me ilude

Meu português todo errado
Não sei se incomoda o jeito d'eu falar
Em vez de cima é em riba
Pra onde é pro donde, mais originá

Moça, esquece a cidade
Vem ver de verdade o que é ser amada
Eu só te peço uma coisa
Respeita o meu jeito, eu não mudo por nada

Eu não vou mudar
Respeita esse meu jeito, acanhado e matuto
Mas eu sei amar
Na cama, carinhoso, e na pista eu sou bruto

Eu não vou mudar
Respeita esse meu jeito, acanhado e matuto
Mas eu sei amar
Na cama, carinhoso, e na pista eu sou bruto

Adicionar à playlist Tamanho Cifra Imprimir Corrigir