Crescente / Cavaleiros do Céu

Milton Nascimento


Vaqueiro do Arizona, desordeiro e beberrão
Corria em seu cavalo pela noite no sertão
No céu, porém, a noite ficou rubra num clarão
E viu passar num fogaréu um rebanho no céu
Y-pi-a-ê, y-pi-a-ô, correndo pelo céu!

A rubras ferraduras punham brasas pelo ar
E os touros como fogo galopavam sem cessar
E atrás vinham vaqueiros como loucos a gritar
Vermelhos a queimar também, galopando para o além!
Y-pi-a-ê, y-pi-a-ô, seguindo para o além!

Centelhas nos seus olhos e o suor a escorrer
Sentindo o desespero da boiada se perder
Chorando a maldição de condenados a viver
A perseguir, correndo ao léu, um rebanho no céu!
Y-pi-a-ê, y-pi-a-ô, correndo pelo céu!

Um dos vaqueiros, ao passar, gritou dizendo assim
Cuidado, companheiro, ou tu virás para onde eu vim!
Se não mudas de vida tu terás o mesmo fim
Querer pegar no fogaréu um rebanho no céu
Y-pi-a-ê, y-pi-a-ô, correndo pelo céu!

Adicionar à playlist Tamanho Cifra Imprimir Corrigir
Composição: Stan Jones / Wagner Tiso. Essa informação está errada? Nos avise.
Revisões por 3 pessoas . Viu algum erro? Envie uma revisão.

Posts relacionados

Ver mais no Blog