Ô ô ô ô ô my brother
Ô ô ô ô ô my brother
Ô ô ô ô ô my brother
Ô ô ô ô ô my brother

É
A ideia lá comia solta
Subia a manga amarrotada social
No calor alumínio
Nem caneta nem papel
Uma ideia fugia
Era o rodo cotidiano
Era o rodo cotidiano

Espaço é curto, quase um curral
Na mochila amassada, uma quentinha abafada
Meu troco é pouco, é quase nada
Meu troco é pouco, é quase nada

Ô ô ô ô ô my brother
Ô ô ô ô ô my brother
Ô ô ô ô ô my brother
Ô ô ô ô ô my brother

Não se anda por onde gosta
Mas por aqui não tem jeito, todo mundo se encosta
Ela some é lá no ralo de gente
Ela é linda, mas não tem nome
É comum e é normal

Sou mais um no Brasil da central
Da minhoca de metal que corta as ruas
Da minhoca de metal
É, como um concorde apressado, cheio de força
Que voa, voa mais pesado que o ar
E o avião, o avião, o avião do trabalhador

Ô ô ô ô ô my brother
Ô ô ô ô ô my brother
Ô ô ô ô ô my brother
Ô ô ô ô ô my brother

É, espaço é curto, quase um curral
Na mochila amassada, uma vidinha abafada
Meu troco é pouco, é quase nada
Meu troco é pouco, é quase nada

Não se anda por onde gosta
Mas por aqui não tem jeito, todo mundo se encosta
Ela some é lá no ralo de gente
Ela é linda, mas não tem nome
É comum e é normal

Sou mais um no Brasil da central
Da minhoca de metal que entorta as ruas
Da minhoca de metal que entorta as ruas
Como um concorde apressado, cheio de força
Voa, voa mais pesado que o ar
E o avião, o avião, o avião do trabalhador

Ô ô ô ô ô my brother
Ô ô ô ô ô my brother
Ô ô ô ô ô my brother
Ô ô ô ô ô my brother

Adicionar à playlist Tamanho Cifra Imprimir Corrigir
Composição: Marcelo Falcão / Lauro Farias / Alexandre Meneses / Marcelo Lobato / Marcos Lobato. Essa informação está errada? Nos avise.
Legendado por Natalie e mais 2 pessoas. Revisões por 18 pessoas . Viu algum erro? Envie uma revisão.

Posts relacionados

Ver mais posts