E bate louco, bate criminosamente
O coração mais do que a mente
Bate o pé mais do que o corpo poderia
E se você mentalizasse na folia

Sabe lá se não seria a solução prá de manhã pensar melhor
E caso fosse a incompatibilidade entre corpo e consciência
Iria desaparecer, você não vê
Como o corpo preparado pode ser iluminado
Como a luz de uma fogueira que precisa se manter

E atingido pela plena consciência
De que o corpo em decadência faz a tua consciência esmorecer
Pelos poros elimina-se o que o corpo não precisa
E não precisa pra pensar e abdicar esse prazer

Se você dançar a noite inteira não significa dar bobeira
De manhã se alienar ou esquecer
É a busca do supremo equilíbrio, num processo inteligente sua mente
Clarear sem perceber

Bate louco, bate criminosamente
Coração mais do que a mente
Bate o pé mais do que o corpo poderia
Mentalizasse na folia

Sabe lá se não seria a solução prá de manhã pensar melhor
E a incompatibilidade entre corpo e consciência
Iria desaparecer, você não vê
Como o corpo preparado pode ser iluminado
Como a luz de uma fogueira que precisa se manter

Atingido pela plena consciência
De que o corpo em decadência faz a tua consciência esmorecer
E elimina-se o que o corpo não precisa
E não precisa pra pensar e abdicar esse prazer

Dançar a noite inteira não significa dar bobeira
De manhã se alienar ou esquecer
É a busca do supremo equilíbrio
Num processo inteligente sua mente
Clarear sem perceber

Bate louco, bate criminosamente
Coração mais do que a mente
Bate o pé mais do que o corpo poderia
Mentalizasse na folia

Sabe lá se não seria a solução prá de manhã pensar melhor
E a incompatibilidade entre corpo e consciência
Iria desaparecer, você não vê
Como o corpo preparado pode ser iluminado
Como a luz de uma fogueira que precisa se manter

Atingido pela plena consciência
De que o corpo em decadência faz a tua consciência esmorecer
(Pelos poros) elimina-se o que o corpo não precisa
E não precisa pra pensar e abdicar esse prazer
Dançar a noite inteira não significa dar bobeira
De manhã se alienar ou esquecer
É a busca do supremo equilíbrio
Num processo inteligente sua mente
Clarear sem perceber

E bate louco, bate criminosamente
Coração mais do que a mente
Bate o pé mais do que o corpo poderia
E se você mentalizasse na folia

Sabe lá se não seria a solução prá de manhã pensar melhor
E a incompatibilidade entre corpo e consciência
Iria desaparecer, você não vê
Como o corpo preparado pode ser iluminado
Como a luz de uma fogueira que precisa se manter

Atingido pela plena consciência
De que o corpo em decadência faz a tua consciência esmorecer
E elimina-se o que o corpo não precisa
E não precisa pra pensar e abdicar esse prazer
Dançar a noite inteira não significa dar bobeira

De manhã se alienar ou esquecer
É a busca do supremo equilíbrio
Num processo inteligente sua mente
Clarear sem perceber

E a intelectualidade (e a intelectualidade)
Pode dançar sem receio (pode dançar sem receio)
Descanso é pra alimentar (descanso é pra alimentar)
E trabalhar sem anseio (e trabalhar sem anseio)

Eu tô olhando pra ponta (eu tô olhando pra ponta)
Mas não esqueço do meio (mas não esqueço do meio)
Quem acha o corpo uma ofensa (quem acha o corpo uma ofensa)
Falo sem demagogia (falo sem demagogia)

Pode dançar essa noite (pode dançar essa noite)
E amanhã pensar quem diria (e amanhã pensar quem diria)
Quem não entendeu eu lamento (quem não entendeu eu lamento)
Quero que entenda algum dia (quero que entenda algum dia)
Aaah

E bate louco, bate criminosamente
Coração mais do que a mente
Bate o pé mais do que o corpo poderia
Mentalizasse na folia

Sabe lá se não seria a solução prá de manhã pensar melhor
A incompatibilidade entre corpo e consciência
Iria desaparecer, você não vê
Como o corpo preparado pode ser iluminado
Como a luz de uma fogueira que precisa se manter

Atingido pela plena consciência
De que o corpo em decadência faz a tua consciência esmorecer
E elimina-se o que o corpo não precisa
E não precisa pra pensar e abdicar esse prazer
Dançar a noite inteira não significa dar bobeira

De manhã se alienar ou esquecer
É o supremo equilíbrio
Num processo inteligente sua mente
Clarear sem perceber

E bate criminosamente
Coração mais do que a mente
Bate o pé mais do que o corpo poderia
Mentalizasse na folia

Sabe lá se não seria a solução prá de manhã pensar melhor
E a incompatibilidade entre corpo e consciência
Iria desaparecer, você não vê
Como o corpo preparado pode ser iluminado
Como a luz de uma fogueira que precisa se manter

Atingido pela plena consciência
De que o corpo em decadência faz a tua consciência esmorecer
E elimina-se o que o corpo não precisa
E não precisa pra pensar e abdicar esse prazer
Dançar a noite inteira não significa dar bobeira

De manhã se alienar ou esquecer
É a busca do supremo equilíbrio
Num processo inteligente sua mente
Clarear

Adicionar à playlist Tamanho Cifra Imprimir Corrigir
Composição: Oswaldo Montenegro. Essa informação está errada? Nos avise.
Legendado por Julian. Revisões por 9 pessoas . Viu algum erro? Envie uma revisão.

Posts relacionados

Ver mais no Blog