O Sexo Dos Anjos

Oswaldo Montenegro

exibições 9.523

O sexo dos anjos 'inda não foi descoberto
A água do deserto nunca quis se revelar
A vida se revela quando o olho tá aberto
A vida nunca pede permissão para passar
A borboleta azul na sua perna (atrevimento!)
Achou que era um vale e nunca mais tentou voar
Careca de peruca não resiste a pé de vento
A chuva nunca pede permissão para molhar
É que a chuva nunca pede permissão para molhar

O sexo do poeta com a palavra vai dar certo
A língua portuguesa já é moça pra 'casá'
E logo a tua boca grande vai chegando perto
O desejo nunca pede permissão para cutucar
Se essa velocidade causa descarrilamento
Não bota o pé no freio que é pro trem não capotar
Não vale fazer gol se o cara tava em empedimento
O dia nunca pede permissão pra te acordar
É que o dia nunca pede permissão pra te acordar

O rio sinuoso vai transando com a campina
Cavalo só tem crina pra você poder pegar
O cheiro do molhado já inundou tua narina
O beija-flor não pede permissão pra beijar
Roqueiro quarentão aposentou seu instrumento
Falou: "eu não agüento mais ser jovem, vou parar"
E a natureza doida pra tecer mais um momento
Criou mais uma concha jogou na beira do mar
É que a vida nunca pede permissão para passar

Eu conheci um inglês que namorava Madalena
E a flauta da pequena resolveu desafiar
Ficou meio maluco meio rádio sem antena
Deu um beijo na morena, resolveram se casar
E o branquela se casou com a mulata do nordeste
Inglês cabra da peste, Liverpool no Ceará
Tiveram quatro filhos: Paulo, Antão, Zico e Celeste
A flauta nunca pede permissão 'pra' pontear

Add a playlist Tamanho Cifra Imprimir Corrigir