Ruínas de Sol

Oswaldo Montenegro

exibições 4.861

Como nasce do lodo do fundo dos mares
O velho vestígio da embarcação
Há de vir das ruínas dos nossos pesares
A primeira luz do nosso coração
Como nasce do fundo do poço escuro
A água cristalina pra
Matar a nossa sede
Há de vir do oceano ou do leito
Fundo de um rio
A nossa esperança envolvida na rede
Como nasce o jasmim do que sujou a terra
E a primeira estrela da ausência do sol
Hei de ver o verão germinar primavera
E a semente da terra do nosso lençol
Como a fúria da chuva lavou o telhado
E o cansaço no fez a vigília enfrentar
As ruínas são restos, mas não do que acaba
E sim do que morre pra recomeçar.

Add a playlist Tamanho Cifra Imprimir Corrigir