Pavilhão 9

Apaga o baseado, preste atenção no que fala o chegado
Fique esperto e espero não seja marcado
Pois no embalo sua morte vem se aproximando
E se você quer assim vai ter que sabe
Que não é moda é cobra comendo cobra
Não jogo conversa fora e você tá ligado
Se você é dependente
Nem se lembra de nós
Você enrola, enrola, fica lento
Viaja na nossa ideia, se perde no vento
Se você pensa ter a mente forte
Um baseado é pouco
Rá, tá, tá pipoco.
Nosso branco nos pratos te deixa bem louco
Falo o quero e não temo resposta
Se você curte trazer uma bomba na bota
O que importa ?
Aperte, acenda, dê um pega, vê se me pega
Se não eu te pego, te aperto, te apago, te enrolo
Tá ficando embaçado
Deixa a parada de lado
Faça a sua e não entre na minha
Eu também sou de rua, vou pipar agora
Não entre na minha linha
Tô empapuçado, apago o baseado

Preste atenção no que fala o chegado
Apaga o baseado

Se você é racional porque não raciocina
Vai de viagem de tabela na nossa rima
Fale o que tem pra falar
Diga o que tem ara dizer
Mas faço aquilo que se propôs a fazer
Se seu bagulho for bom
Vai ser fácil vender
Pois se você for lucrar eu vou lucrar com você
Essa área é a minha
Você conhece a sua
Não embace na minha que eu não te queimo na sua
A gente até entende que nosso peso fez a sua mente
Mas essa sua reação não me deixa contente
Onde já se viu ?
Querer seguir nosso rastro
Só faço o que eu mando
Não faça o que eu faço
Espero que seu futuro seja negro
No branco já foi chegado
Eu sei do seu passado
Você tá ligado
Nem vem pro meu lado, cara
Apaga o baseado

Preste atenção no que fala o chegado
Apaga o baseado
Preste atenção no que fala o chegado
Apaga o baseado

Adicionar à playlist Tamanho Cifra Imprimir Corrigir

Posts relacionados

Ver mais posts