Posso ter o mapa e querer estar perdido
Chegar em primeiro e continuar vencido
Correr o mundo inteiro sem nunca ter ido
Não encontrar abrigo

Pode o céu arder e não estar atento
A noite chegar com um frio dentro
Nunca levantar apesar de vento
Se não voares comigo

Abraça-me de terra
Com beijos de pecado
A paz da tua guerra
Há balas que só têm perdão
E tiros que mudam de lado
Não vás embora hoje
A noite é um céu aberto
Amarra as tuas velas d'ouro no meu peito

Posso ter loucura como coração
Ver o horizonte, preferir o chão
Saber a resposta, não querer a razão
Se nunca é domingo

Posso ter a arma e não ter gatilho
Disparar amor sem fazer sarilho
Escrever um drama que faça rastilho
E ainda estar sozinho

Abraça-me de terra
Com beijos de pecado
A paz da tua guerra
Há balas que só têm perdão
E tiros que mudam de lado
Não vás embora hoje
A noite é um céu aberto
Amarra as tuas velas d'ouro no meu peito
Não temos muito tempo
Para fugir deste deserto
Amarra as tuas velas d'ouro no meu peito

Pode a espada vir de frente
E o golpe ser de veludo
De perdição
Viver de um amor ausente
Vir o barco de outro rumo
Da salvação
Somos de um tempo diferente
O teu verbo é o meu aprumo
De rendição

Não vás embora hoje
A noite é um céu aberto
Amarra as tuas velas d'ouro no meu peito
Não temos muito tempo
Para fugir deste deserto
Amarra as tuas velas d'ouro no meu peito

Adicionar à playlist Tamanho Cifra Imprimir Corrigir

Posts relacionados

Ver mais posts