Exilado pelo o rap sofrendo mutações
Tive que toma coragem em meio aos vilôes
De todas as confusões eu fui a maior
Quando cai uma peça o efeito é dominó

Sofrimento não enobrece nem te torna diferente
Levantar a cada tombo não é ficar em pé pra sempre
Todas mágoas engolidas sempre pedirão vingança
Se a guerra é pela paz pra que toda essa matança?

O homen põe aliança que logo vira algema
A morte da esperança não era parte do esquema
Louco na quarentena pronto pra surtar
Fudido nesse sistema em prisão domiciliar

Os fantoches são milhões rindo da propria desgraça
É uma tropa de comédia pra um que não acha graça
Fill invade a rede eletrica
Com a rima que te infecta
Se picar e morrer tu não vai colher o néctar

A abelha que te pica morre logo na sequência
Efeito colateral da sua própria existência
Faz parte da ciência, "tuchê" na esgrima
Pok sombra wins do nobel da rima

Conciderado um louco pela as gerações passadas
Bombardeio de cultura minha bandeira foi cravada
Sua missão será cumprida assassinando a preguiça
Não adianta fazer força na areia movediça

Dinâmico no mic com poder impactante
Me igualando a Davi pra derrubar qualquer gigante
Se a bruxa quer voar esconde a vassoura
E em terra de saci todo chute é voadora

Fama e dinheiro vão trazendo sanguessuga
Assim como o tempo sempre vem junto com as rugas
Ta na hora de mudar na era de se iludir
Charie Chaplin não falo e conseguiu te fazer rir

Vou infrigindo as leis, quebrando quaquer regra
Se a medusa olhar no olho é ela que vira pedra
Se acha que é pouca merda tenta nos engolir
Onde vai pra Moisés se o mar não dividir?

As cores não são iguais
A alguns anos atrás
A ultima geração vai destruindo sempre mais, mais
A embarcação migrando de cais em cais vai
Morrem pela paz

Adicionar à playlist Tamanho Cifra Imprimir Corrigir

Posts relacionados

Ver mais posts