Foto do artista Salgueiro (RJ)

Samba Enredo 1978 - Do Yorubá À Luz, a Aurora Dos Deuses

Salgueiro (RJ)


Saruê! Baiana, iorubana
Da saia amarrada co'a paia da cana

Olorum, ô ô ô

Misto de infinito e eternidade
Também teve seu momento de vaidade
Criou a terra e o céu de Oxalá
Pra gerar Angaju e Iemanjá
E Yemanjá, além de Xangô
Em seu ventre, doze entidades gerou
Pra reinarem pregando a paz e o amor, ô ô ô
Enquanto Oxumaré, com bom gosto e singeleza
Matizava a natureza
Ifá mandou Exu, o mensageiro
Abrir caminhos pelo mundo inteiro

E quando os tumbeiros aportaram
Reis, heróis e deuses de yorubá
Em seu novo mundo aclamaram
Xangô seu pai no Axé-opô-afonjá

E os pretos velhos da Bahia
Ainda seguem seus antigos rituais
Usando a mais pura magia
Nos terreiros de famosos babalorixás

Adicionar à playlist Tamanho Cifra Imprimir Corrigir