exibições 2.440
Foto do artista Shana Müller

No Braço Esquerdo da Cruz

Shana Müller


Um dia o que era vida
Tombou por conta do vento
Depois ergueu-se na fé
Das mãos pedindo um lamento.

Nasceram todos da terra
E pra ela vão voltar
Tão simples como ela própria
No seu modo de criar.

A simples folha que cai
Num gesto que a vida tem
É uma entrega desmedida
Sem ofertar-se a ninguém.

Velando a paz da partida
Madeira formou-se cruz
Sem iniciais e nem datas
Somente um facho de luz.

É a vida que sobe aos céus
Num ciclo que não se encerra
A alma partiu mais cedo
E o corpo mesclou-se a terra.

As flores um dia vieram
Da terra fértil pra perto
Receber os dois barreiros
Na cruz de braços abertos.

Da terra compôs-se a casa
Sobre a madeira esculpida
À luz da simplicidade
Com asas que tem a vida.

Só as almas sobrevivem
Para um dia retornar
Noutra vida, noutro corpo
Num Deus que soube criar.

Pois sei que a vida renasce
Nos rumos que ela conduz
Que um joão-de-barro fez casa
No braço esquerdo da cruz.

Adicionar à playlist Tamanho Cifra Imprimir Corrigir
Composição: Diego Espindola / Gujo Teixeira / Xiru Antunes · Esse não é o compositor? Nos avise.
Enviada por Edersom
Viu algum erro na letra? Envie sua correção.