Escuto vozes na minha cabeça
Que falam coisas, que me atormentam

Me sinto preso, acorrentado
E a vontade é incontrolável

Não há retorno pra mim
Eu fujo, mas as vozes falam mesmo assim

Finjo que eu sou normal
Sentado ao seu lado
Falo que me entendem mal
Mesmo não estando errados

Finjo que eu sou normal
E que é acidente
Mas é tudo intencional
Planejado na minha mente

(Ser louco num mundo perturbado, não é loucura, é sanidade)

Enquanto os outros vivem dilemas
Eu quebro as regras
Não há problema

Me acham louco
E que exagero
Eu acho é pouco
Pro que eu quero

Não há retorno pra mim
Perguntam, mas eu digo que me esqueci

Finjo que eu sou normal
Sentado ao seu lado
Falo que me entendem mal
Mesmo não estando errados

Finjo que eu sou normal
E que é acidente
Mas é tudo intencional
Planejado na minha mente

Então cuidado com o lado que eu não mostro
O tempo todo mas que pega o descuidado de surpresa
Eu não me importo, eu vou e faço, eu até gosto
E a verdade que eu te mostro é que a loucura também tem sua beleza

O sangue é doce e tem perfume, e é o que faz
Eu querer muito a ponto de não deixar essa vida para trás

A insanidade já é parte, ou é completo? Eu já não ligo
Eu já não sei mais se sou vítima ou o perigo

Adicionar à playlist Tamanho Cifra Imprimir Corrigir