Viola que não presta, faca que não corta
Se eu perder, pouco me importa

O cabo da minha enxada era um cabo bacana
Não era de Guatambú era de Cana Caiana
Um dia la na roça me deu sede toda hora
Chupei o cabo da enxada e joguei a enxada fora

Enxada que não presta, faca que não corta
Se eu perder, pouco me importa

Corri atrás de uma onça preparando pra atirar
Do estado de São Paulo atravessou pro Paraná
A caça que eu atiro eu juro que não escapa
A cartucheira falhou, peguei a onça no tapa

Cartucheira que não presta, faca que não corta
Se eu perder, pouco me importa

Peguei um dinheiro, emprestei pra um camarada
O sujeitinho sumiu, nem dinheiro, nem mais nada
Dinheiro emprestado, é um grande perigo
A gente perde o dinheiro e também um grande amigo

Amigo que não presta, faca que não corta
Se eu perder, pouco me importa

A fazenda do meu sogro faz divisa com a minha
Presente de casamento, ele me deu, pois eu não tinha
Com este casamento, fiquei rico derrepente
Casei com sua fazenda e trouxe a moça de presente

Casamento que não presta, faca que não corta
Se eu perder, pouco me importa

Adicionar à playlist Tamanho Cifra Imprimir Corrigir