Foto do artista VH2

O Que Esperam de Mim

VH2


Essa é a voz de quem um dia busco liberdade
O grito de mais um aprisionado na cidade
Os sonhos acomulados resultando em dor
Quem tem noção da vida sabe o que é ser gladiador
Essa é a voz de quem um dia busco liberdade
O grito de mais um aprisionado na cidade
Os sonhos acomulados resultando em dor
Quem tem noção da vida sabe o que é ser gladiador

Quem nunca quis ser um exemplo de vitória
Não só mostrar um sorriso falso enquanto a alma chora
Embora seus padrões nos obrigue a ser vilões
Multidões rumo a degola só que ainda não chego a minha hora
Olhar pro lado e vê que a fome ainda fala alto
Olhar pro cháo contando quantos corpos há no asfalto
O meu sucesso nunca foi prioridade máxima
E sim da mute no ronco das barrigas magras
Disponibilizar a alto estima na derrota
Em vez de camuflar a dor e o fardo que trago nas costas
Eu sou a rua, eu sou o povo somos o gueto
Pra bater de frente primeiramente bato no peito
Já to cansado de buscar inspiração no sangue
Vida de pobre nunca foi efeito bumeramgue
Já to cansando de por a cabeça sobre o travesseiro
Sabendo que só drincado eu durmo direito
O senso humanitário me dá nojo ao perceber
Publicitários vomitando o que se deve ser
Esteriótipos que movem corpos morbidos
Resultam em bullying, bolimia, atestado de óbito
Eu sei o que é ódio, raiva o que é rancor
Respiro fora d`água hoje,conheci o amor
Já me esquivei como também arquitetei meu fim
Sinceramente eu não sei o que esperam de mim

Eu sou como qualquer neguinho sonhador daqui
Sou como um trabalhor que só pensa em sorrir
Eu sou como os detentos que só pensam em sair
Também sou realista pra saber que ainda não sou feliz
Não queria que lágrimas compuzessem canções
Que o cinza do mundo não ofusca-se visões
Como que querem que eu peça ajuda pra deus
Se a merda da esperança de povos se converteu em ateu
Embora a guerra não há cor, não há raça não há credo
Me banhar no sangue pra erguer essa taça não quero
Viver de egocêntrismo dividir a nossa união
Mais na real me diz quantos que te estenderam a mão
Suavidade em cada gole de morfina
Anestesia ilusória escapatória pra seguir cá vida
Como eu queria que meu rap fosse a salvação
Que os mano tivessem acesso aos livro e não só prisão
O que cês querem talvez não seja o que eu queira
Money que salva também faz com que eu cave trincheiras
Somos milhares de olhares que não enxergam nada
Animais sem raciocinio empregados vira lata
Falencia emocional é o que gera depressão
A dor abraça a morte enquanto a morte abraça seu caixão
Só por deus que ainda to vivo e ponho isso em cada track
O que querem que eu faça na moral eu faço rap

Adicionar à playlist Tamanho Cifra Imprimir Corrigir