Nacos de Apego

Wilson Paim

exibições 2.251

Geada chegando cedo cobrindo o varzedo e o peito vazio
Aperto o laço da ternura que me prende a china que um dia partiu
O campo de um verde tão lindo volteio meu pingo e saio a camperear
Vou rebentar a cancela e procurar por ela para me encontrar

(Preciso campear a flor que um dia perdi
Quero reencontrar a paz que um dia vivi
Preciso regar o amor que cedo murchou
Pois sem ti parceira já não sei quem sou
Pois sem ti parceira já não sei quem sou

Se resta um pouco de apego achego não vai faltar
Os pelegos são os mesmos estão a nos esperar
Se o rancho ainda está tapera com a primavera ele vai florir
De quincha a felicidade de esteio a vontade de não mais partir)

Estrada poeira e mas nada é longa a jornada pra quem vai sozinho
No céu o cruzeiro piscando é guia e luzeiro mostrando o caminho
O zaino fareja o pasto repisando o rastro curtido de ausências

Quem sabe em busca de carinho ela lembre do ninho e volte pra querência
De quincha a felicidade de esteio a vontade de não mais partir

Adicionar à playlist Tamanho Cifra Imprimir Corrigir