Eu sou eu, e por ser assim vou retratar
Meu sangue alterado te permite entrar corrente irmã
As veias são nossas
O corpo era eu

Já revirei o meu repertório frio de expressão
Meu sangue envenenado te maltrata até me fazer bem
Tem coisas que são nossas
Tem coisas que só eu

O meu silêncio nem sempre é uma ameaça
Às vezes ele vem

Meu amigo, te entrego aqui um gesto
Meu amigo, que foi que o mundo te fez?
A dor da monotonia é o que te torna real
Consanguíneo

Adicionar à playlist Tamanho Cifra Imprimir Corrigir

Posts relacionados

Ver mais posts