Estão todos condenados
Na esperança de mais uma promessa
Precisando mas não tendo pressa
Seu suor está sendo tragado

Sorria, você está sendo filmado!
Insegurança pública a caminho
Aflição em cada passo
Trancafiado em sua própria residência

Expectativa de mais um injusto processo
Vidas em desordem, em pleno regresso.
Um vício em estar sempre vendado

Pela vida como está não tenha pressa
Continue escolhendo a dedo mais uma promessa
Ou continue ai sentado...
Até que o ciclo seja retomado

Estendendo-se por gerações
Rastejando pelo intocável
Erguendo-se em meio a tantos corpos
Em troca de sobrevivência

Palavras bonitas e afiadas
Cravadas na ilusão da inocência
Se segue o rastro de toda essa ciência
Para no fim tentar acreditar

Adicionar à playlist Tamanho Cifra Imprimir Corrigir

Posts relacionados

Ver mais posts