Um rio, um vale, uma terra ditosa
Na região extremo autral do Brasil.
Eu vôo livre na Cidade das Rosas:
É Sapiranga, venha ver quem não viu !

O Rio dos Sinos, bosques, parques e lagos,
Temos colinas com belas cachoeiras.
Em suas florestas, vicejantes regatos,
Na primavera, temos flores montesas.

Que bela é nossa cidade ! Aqui
Tem uma brisa que vem lá da montanha.
E esta gente capaz, que desperta
Bem cedo, constrói Sapiranga.

O morro é o Ferrabraz, que já foi
O Cenário dos Muckers, outrora :
Por Jacobina, a guerreira sagaz
Que virou lenda na Cidade das Rosas.

A odisséia dos teus imigrantes,
Pelos meandros da Serra Geral,
Foi o prelúdio de um povo triunfante,
Que Sapiranga veio a nós revelar.

Desbravadores, audaciosos alemães,
Tenazes homens de uma terra distante,
Que nos legaram tradições e foram
Os precursores desta indústria pujante !

A grande história fazemos agora
Perpetuar a grande obra divina,
Lapidar nesta garbosa oficina,
A imponente Cidade das Rosas !

Pavimentar os caminhos do Futuro,
Sem esquecer as veredas do passado :
É escrever um mito, com muito orgulho,
Por atributos que nos foram legados !

Adicionar à playlist Tamanho Cifra Imprimir Corrigir